Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Um leitor comentou no blog no post anterior sobre a atitude do vereador Joel da MALA Costa. Este por sua vez disse que todos que não votam em Roseana são malas! Mas, vereador em mesmo você vota? Em quem estiver ganhando? O nobre vereador que tem seus méritos por esta mais uma vez com a buzanfa na cadeira da câmara, mas como todos sabem deveria ter mais para mostrar, em ter que defender sempre os seus interesses. 
Joel Costa é um daqueles que não saem de cima da carne seca e ninguém sabe como ele chega lá, mas posso tentar desvendar esse mistério da caixa de fósforo. Tudo se resolve no dia "D", ou estou enganado?!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:01

Comentários a parte, não gosto desse tipo de têrmo, mas da ibope. Vereadores e entidades assinaram um manifesto, que não é do PT, com o apoio a candidatura de vice governador para o Imperador. No visto de quase todos os comentáristas políticos, os de verdade, até agora ninguém viu essa tal carta, nem quem quiz assinar.

Depois de implantar a mais nova cartada, o vereador Imperador resolveu tentar se eleger a candidato a vice, como ja comentei alguns post's atrás, o dificil está em conseguir adesões à tal carta de pretenção. Alguns vereadores até se dispuseram a assinar, mas o que se comenta é que o desejo real,  é de se livrar do Imperador.

O presidente da câmara que antes era somente um grande empresário e bem sucedido com todo o respeito a seu longo trabalho e dedicação, agora não sabe mais o que quer. O Imperador já tentou de candidato a deputado Estadual, ja tentou apoiar Ildon pra Federal, Nice Lobão, Daniel Macêdo (até apertaram as mãos), Edimilson Sanches (rolou até beijos) e Weverton Rocha (que adora um beijo).
O que não da ainda pra entender é porque o Imperador muda tando e tão rápido de opinião?! 

Mas já que os fatasmas e vereadores estão querendo assinar, eu como mortal peço encarecidamente que mostrem o "tal" manifesto para que possamos assinar, quem sabe com essa "tal" lista, apareça quem esta patrocinando as faixas espalhadas pela capital que diz: "Vice tem que ser de Imperatriz".

Como há sempre a idéia do vice vindo da Imperosa, levanto a campanha:

"Vice tem que ser de Imperatriz, mas não precisa ser o Imperador!"

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:20

Com os recentes acordos firmados entre o Estado e a prefeitura o governo Madeira vem fazendo obras em toda a cidade, é claro que menos no meu bairro, com isso vai quebrando os argumentos do ex prefeito Ildon que sempre colocou culpa nos recursos. Com as obras executados e parcialmente financiadas por Roseana, a própria vai conseguindo destruir "o pisada" politicamente.


A segunda linha, a mais quase esquerda, o grupo do PT de Imperatriz começa a se desfazer com a condenação do ex-prefeito. Jomar Fernandes que apoiou sua esposa na mais recente saga "Greve de fome revolution", agora tem que fazer uma vaquinha e devolver 7 mil reais aos cofres públicos por irregularidades na condução de licitações públicas.


Com o andar da carruagem os novos líderes começam a se deslanchar na política local, esta por que, os barquinhos de alguns começaram a afundar. Baseado nessas e em outras, quem serão os novos nomes que poderão se destacar para disputa da prefeitura de Imperatriz ?


Se as minhas contas não errarem, Daniel Macêdo, que atualmente é candidato a Deputado Estadual, poderá ser o concorrente direto de Madeira, isso por que, além de seu carisma, jovialidade o Dr. Daniel tem grandes padrinhos.


 Tá aí, um novo nome para Prefeito de Imperatriz!!! 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:15

ANTÔNIO LOPES DE SOUSA 094.095.563-68
Deliberação: Acórdão 2616/2006-2ª CÂMARA registrado na Ata 34/2006, em sessão de 19/09/2006
Município de Buritirana/MA (Beneficiário); FNDE (Transferidor)



DANIEL SILVA ALVES 076.763.873-53
Deliberação: Acórdão 2330/2005-2ª CÂMARA registrado na Ata 43/2005, em sessão de 22/11/2005
PREFEITURA MUNICIPAL DE DAVINÓPOLIS/MA.


DANIEL SILVA ALVES 076.763.873-53
Deliberação: Acórdão 2508/2006-2ª CÂMARA registrado na Ata 32/2006, em sessão de 05/09/2006
MUNICÍPIO DE DAVINÓPOLIS/MA (BENEFICIÁRIO); FUNDO NACIONAL DE SAÚDE (TRANSFERIDOR).


DANIEL SILVA ALVES 076.763.873-53
Deliberação: Acórdão 2844/2006-2ª CÂMARA registrado na Ata 36/2006, em sessão de 03/10/2006
Município de Davinópolis/MA (Beneficiário); FNDE (Transferidor)
DANIEL SILVA ALVES 076.763.873-53


Deliberação: Acórdão 580/2005-2ª CÂMARA registrado na Ata 14/2005, em sessão de 19/04/2005
Prefeitura Municipal de Davinópolis/MA



DEUSDEDITH ALVES SAMPAIO 089.566.855-68
Deliberação: Acórdão 1102/2007-2ª CÂMARA registrado na Ata 15/2007, em sessão de 15/05/2007
MUNICÍPIO DE AÇAILÂNDIA/MA(BENEFICIÁRIO);FUNDO NACIONAL DE SAÚDE-FNS(TRANSFERIDOR)


DEUSDEDITH ALVES SAMPAIO 089.566.855-68
Deliberação: Acórdão 132/2006-2ª CÂMARA registrado na Ata 03/2006, em sessão de 07/02/2006
PM DE AÇAILÂNDIA/MA (BENEFICIÁRIO);
FNDE (TRANSFERIDOR)


DEUSDEDITH ALVES SAMPAIO 089.566.855-68
Deliberação: Acórdão 1805/2004-2ª CÂMARA registrado na Ata 35/2004, em sessão de 16/09/2004
Prefeitura Municipal de Açailândia/MA


DEUSDEDITH ALVES SAMPAIO 089.566.855-68
Deliberação: Acórdão 2102/2005-2ª CÂMARA registrado na Ata 39/2005, em sessão de 18/10/2005
Prefeitura Municipal de Açailândia/MA


DEUSDEDITH ALVES SAMPAIO 089.566.855-68
Deliberação: Acórdão 2546/2005-2ª CÂMARA registrado na Ata 45/2005, em sessão de 06/12/2005
MUNICÍPIO DE AÇAILÂNDIA/MA(BENEFICIÁRIO);
FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO(FNDE) (TRANSFERIDOR)


DEUSDEDITH ALVES SAMPAIO 089.566.855-68
Deliberação: Acórdão 3139/2009-2ª CÂMARA registrado na Ata 19/2009, em sessão de 16/06/2009
Município de Açailândia/MA(beneficiário); Fundo Nacional de Saúde -FNS (transferidor



GERSON DAVID DOS SANTOS 033.302.816-34
Deliberação: Acórdão 2760/2006-2ª CÂMARA registrado na Ata 35/2006, em sessão de 26/09/2006
Município de São Pedro da Água Branca/MA (Beneficiário); FNDE (Transferidor)


GERSON DAVID DOS SANTOS 033.302.816-34
Deliberação: Acórdão 524/2008-2ª CÂMARA registrado na Ata 6/2008, em sessão de 11/03/2008
Município de São Pedro da Água Branca/MA.beneficiário); Ministério da Cultura (transferidor)


GERSON DAVID DOS SANTOS 033.302.816-34
Deliberação: Acórdão 70/2006-2ª CÂMARA registrado na Ata 2/2006, em sessão de 31/01/2006
Prefeitura Municipal de São Pedro da Água Branca/MA (beneficiário); FNDE (transferidor dos
recursos)



GILDASIO CHAVES RIBEIRO 306.129.932-72
Deliberação: Acórdão 4977/2008-2ª CÂMARA registrado na Ata 41/2008, em sessão de 11/11/2008
MUNICÍPIO DE FORTALEZA DOS NOGUEIRAS/MA (BENEFICIÁRIO) - FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO



GILSON FREIRE DE SANT'ANNA 101.988.221-20
Deliberação: Acórdão 1779/2007-1ª CÂMARA registrado na Ata 19/2007, em sessão de 19/06/2007
MUNICÍPIO DE AÇAILÂNCIA/MA(BENEFICIÁRIO); FUNDEF(TRANSFERIDOR)






JOÃO ALFREDO DO NASCIMENTO 083.654.071-91
Deliberação: Acórdão 1103/2004-2ª CÂMARA registrado na Ata 23/2004, em sessão de 24/06/2004
PREFEITURA MUNICIPAL DE SÍTIO NOVO/MA


JOÃO ALFREDO DO NASCIMENTO 083.654.071-91
Deliberação: Acórdão 130/2005-2ª CÂMARA registrado na Ata 04/2005, em sessão de 15/02/2005
PREFEITURA MUNICIPAL DE SÍTIO NOVO/MA



JOÃO ALFREDO DO NASCIMENTO 083.654.071-91
Deliberação: Acórdão 1806/2004-2ª CÂMARA registrado na Ata 35/2004, em sessão de 16/09/2004
PREFEITURA MUNICIPAL DE SÍTIO NOVO/MA


JOÃO ALFREDO DO NASCIMENTO 083.654.071-91
Deliberação: Acórdão 2352/2006-2ª CÂMARA registrado na Ata 30/2006, em sessão de 22/08/2006
MUNICÍPIO DE SÍTIO NOVO/MA (BENEFICIÁRIO) - FNDE (TRANSFERIDOR)


JOÃO ALFREDO DO NASCIMENTO 083.654.071-91
Deliberação: Acórdão 3007/2009-2ª CÂMARA registrado na Ata 018/2009, em sessão de 09/06/2009
Município de Sítio Novo/MA (beneficiário); Fundação Nacional de Saúde - Funasa (transferidor)


JOÃO ALFREDO DO NASCIMENTO 083.654.071-91
Deliberação: Acórdão 3174/2005-1ª CÂMARA registrado na Ata 43/2005, em sessão de 06/12/2005
FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FNDE (TRANSFERIDOR DOS RECURSOS); PREFEITURA
MUNICIPAL DE SÍTIO NOVO/MA (BENEFICIÁRIO)


JOÃO ALFREDO DO NASCIMENTO 083.654.071-91
Deliberação: Acórdão 6127/2009-2ª CÂMARA registrado na Ata 41/2009, em sessão de 17/11/2009
Municípío de Sítio Novo/MA (Beneficiário); Fundação Nacional de Saúde (Transferidor).


JOÃO ALFREDO DO NASCIMENTO 083.654.071-91
Deliberação: Acórdão 718/2008-2ª CÂMARA registrado na Ata 08/2008, em sessão de 25/03/2008
Município de Sítio Novo/MA (beneficiário dos recursos); Secretaria Especial de Habitação e Ação
Comunitária - extinta - (transferidora).


JOÃO ALFREDO DO NASCIMENTO 083.654.071-91
Deliberação: Acórdão 981/2008-2ª CÂMARA registrado na Ata 11/2008, em sessão de 15/04/2008
Município de Sítio Novo/MA (Beneficiário) - Fundo Nacional de Saúde (Transferidor)



RAIMUNDO NONATO VIEIRA 025.103.323-68
Deliberação: Acórdão 0976/2008-1ª CÂMARA registrado na Ata 009/2008, em sessão de 01/04/2008
MUNICÍPIO DE JOÃO LISBOA/MA (BENEFICIÁRIO); MINISTÉRIO DA SAÚDE (TRANSFERIDOR)


RAIMUNDO NONATO VIEIRA 025.103.323-68
Deliberação: Acórdão 1597/2007-1ª CÂMARA registrado na Ata 17/2007, em sessão de 06/06/2007
MUNICÍPIO DE JOÃO LISBOA/MA (BENEFICIÁRIO); FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE (TRANSFERIDOR)


RAIMUNDO PIMENTEL FILHO 012.476.033-34
Deliberação: Acórdão 721/2007-1ª CÂMARA registrado na Ata 009/2007, em sessão de 27/03/2007
Município de Itinga do Maranhão/MA (Beneficiário); FNDE (Transferidor)



SÁLVIO JESUS DE CASTRO E COSTA 001.890.733-49
Deliberação: Acórdão 1554/2008-2ª CÂMARA registrado na Ata 18/2008, em sessão de 03/06/2008
Município de João Lisboa/MA(Beneficiário do recurso); Fundo Nacional de Desenvolvimento da
Educação(Transferidor)


SÁLVIO JESUS DE CASTRO E COSTA 001.890.733-49
Deliberação: Acórdão 3099/2008-2ª CÂMARA registrado na Ata 30/2008, em sessão de 26/08/2008
Município de João Lisboa/MA (beneficiário); Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação
(transferidor)


Fonte: TCU

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:59

Ô vice! Fala que eu te escuto.

por Holden, em 21.06.10
Hamilton Miranda esteve em São Luiz na ultima convenção onde fora aclamado o nome de Jackson Lago como pré-candidato a governador do Maranhão. O estranho da ida do presidente da câmara de Imperatriz e seu desejo de ser vice governador é: Por que ele mesmo indo até a capital, preferiu ficar no hotel em ter que prestigiar seus companheiros políticos ?   Esquecido, mas não despercebido, sua ausencia foi o comentário dos bastidores do evento. Para quem deseja, pelo menos pelo seu grupo de favorecidos na câmara, ser vice governador, esta muito longe de ser um carismático estadista. 

Falando em Estadistas, que tal  uma justificativa, sobre um galpão que está alugado por 10 mil reais a secretária de Educação que antes, um galpão maior e melhor localizado era alugado pela metade do valor. Pelos moldes do contratante, o de 10 mil cabe dentro do de 5 mil, a diferença é que o de 10 o proprietário é um vereador.
Zeziel, estamos aberto a sua justificativa, justa é claro!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:04





"A manutenção da estabilidade
é inegociável. Isso significa
manter a inflação baixa"


Nenhum outro político brasileiro tem no currículo uma vida pública como a de José Serra, 68 anos, candidato do PSDB à sucessão de Lula. Jovem, presidia a União Nacional dos Estudantes (UNE) quando veio o golpe de 64, que o levou ao exílio, expatriação que duraria até 1978. De volta ao Brasil com diploma de economia no bolso, foi secretário do Planejamento, deputado constituinte, senador, ministro do Planejamento e da Saúde, prefeito e governador. Sobre Dilma Rousseff, ele diz: "Hoje me choca ver gente que sofreu sob a ditadura no Brasil cortejando ditadores que querem a bomba atômica, que encarceram, torturam e matam adversários políticos, fraudam eleições, perseguem a imprensa livre, manipulam e intervêm no Legislativo e no Judiciário. Isso é incompatível com a crença na democracia e o respeito aos direitos humanos".
O senhor já enfrentou todo tipo de adversário em eleições, mas, desta vez, a se fiar nas palavras do presidente Lula, vai concorrer com um "vazio na cédula", preenchido com o nome de Dilma Rousseff. Afinal, quem é seu adversário nesta eleição?
Só tenho a certeza de que não vai ser Lula, cujo mandato termina no próximo dia 31 de dezembro. Adversários são todos os demais candidatos à Presidência da República. Por trás dos nomes na tela da urna eletrônica há a história, as propostas e a credibilidade de cada um. Minha obrigação é me apresentar aos brasileiros sem subestimar nem superestimar os demais. Deixemos que os eleitores julguem. É muito bom que os candidatos sejam diferentes entre si e também em relação aos presidentes que já deram sua contribuição ao Brasil. A beleza da vida está justamente em cada um ter seus próprios atributos.
Depois que os repórteres da sucursal de VEJA em Brasília desvendaram uma tentativa de aloprados do PT de, uma vez mais, montar uma central de bisbilhotagem de adversários, as operações foram desautorizadas pela cúpula da campanha. O senhor responsabiliza a candidata Dilma Rousseff diretamente pelas malfeitorias ali planejadas? 
Só cabe lamentar e repudiar as tentativas de difusão de mentiras, de espionagem, às vezes usando dinheiro público, às vezes usando dinheiro de origem desconhecida, como em 2006. São ofensas graves e crimes que ferem até mesmo direitos básicos assegurados pela Constituição brasileira. Isso não é honesto com o eleitor. É coisa de gente que rejeita a democracia. A candidata disse que não aprova esse tipo de atitude, mas não a repudiou, não pediu desculpas públicas nem afastou exemplarmente os responsáveis. Essa reação tímida e a tentativa de culpar as vítimas fazem dela, a meu ver, responsável pelos episódios.
Por que para a democracia brasileira é positivo experimentar uma alternância de poder depois de oito anos de governo Lula?
Querer se pendurar no passado é um erro, não de campanha, mas em relação ao país. Eleição diz respeito ao futuro. Por isso, a questão que se coloca agora aos eleitores é escolher o melhor candidato, aquele que tem mais condições de presidir o Brasil até 2014. Eu ofereço aos brasileiros a minha história de vida e as minhas realizações como político e administrador público. Ofereço as minhas ideias e propostas. Espero que os demais candidatos façam o mesmo, para que os brasileiros possam comparar.
Como o senhor conseguiu governar a cidade e o estado de São Paulo sem nunca ter tido uma única derrota importante nas casas legislativas e sem que se tenha ouvido falar que lançou mão de "mensalões" ou outras formas de coerção sobre vereadores e deputados estaduais? 
Em primeiro lugar, é preciso ter princípios firmes, não substituir a ética permanente pela conveniência de momento. É vital ter e manifestar respeito à oposição, ao Judiciário, à imprensa e aos órgãos controladores. Exerci mandatos de deputado e senador durante onze anos. Todos os que conviveram comigo no Congresso sabem que minhas moedas de troca são o trabalho, a defesa de ideias e propostas, o empenho em persuadir os colegas de todos os partidos e regiões. O segredo está em três palavras: ouvir, argumentar, decidir. Há o mito de que emendas de deputado são sempre ruins. Não são. Na maioria das vezes, elas visam a resolver ou aliviar problemas reais que afligem as pessoas de sua região. Portanto, atender os deputados segundo critérios técnicos é atender seus eleitores. Outra coisa fundamentalmente diferente é distribuir verbas ou cargos em troca de votos. Isso eu nunca fiz e nunca farei.
O PT fez?
Fez. Cito como exemplo as agências que criei quando fui ministro da Saúde, a Anvisa e a ANS. Sabendo como eu atuo, nenhum parlamentar, nem mesmo os do meu partido, sequer me procurou em busca de alguma indicação. Eles sabiam que não teriam êxito. E qual é a situação agora? O atual governo loteou totalmente as agências entre partidos, fatiando-as entre grupos de parlamentares e facções de um mesmo partido. A mesma partilha se abateu sobre os Correios e sobre a maioria – se não todos – dos órgãos públicos. O loteamento foi liberado e se generalizou. Essa prática é uma praga que destrói a capacidade de gestão governamental e turbinou como nunca a corrupção. Mais ainda, a justificativa oferecida foi a de que se tratava de "um mal necessário" para garantir a governabilidade. Se eleito, vou acabar com isso à base de um tratamento de choque.
Por que criar um Ministério da Segurança Pública e como ele atuaria exatamente no combate ao crime, que, no atual regime federativo, é uma atribuição estadual? 
A segurança é um problema em todos os estados. Portanto, é um problema nacional. O governo federal e o presidente, que é o chefe do governo, não podem mais fingir que o problema da segurança está equacionado. Não está. Segurança é um dos três grandes problemas do Brasil. Temos de enfrentá-lo. O Brasil não pode continuar a ter 50 000 homicídios por ano. É um número escandaloso. Apenas o crescimento econômico não arrefece os criminosos. O Nordeste é um exemplo disso. A região experimentou um crescimento expressivo, mas a população sofre com a explosão da criminalidade. Só a Presidência da República reúne as condições para coordenar uma ação nacional da magnitude que o problema exige. Precisamos criar um SUS da segurança. O Ministério da Segurança será o símbolo e a ferramenta dessa prioridade. Com ele, estou dizendo o seguinte: brasileiros, vamos encarar o desafio para valer, vamos resolver essa situação. Esse será meu compromisso como presidente.
Falando em federação, como concertar com os governadores uma reforma tributária em que ninguém se sinta lesado ou pagando a conta? 
É menos complicado do que parece, e nem é necessário mexer na Constituição. Para começar, é preciso aprovar uma lei que preveja que os impostos sejam explicitados nos preços das mercadorias. Isso aumentará a consciência das pessoas a respeito da carga tributária. Em São Paulo, fizemos uma lei para criar a Nota Fiscal Paulista, um instrumento de grande sucesso através do qual 30% do imposto estadual sobre o varejo é devolvido aos contribuintes, com crédito direto na conta bancária. Vamos criar a Nota Fiscal Brasileira, para devolver parte dos tributos federais. A reforma que farei vai aliviar a carga tributária incidente sobre os indivíduos, desonerar os investimentos, simplificar a formidavelmente complexa estrutura de tributos atuais. Além disso, restabeleceremos a neutralidade em relação à distribuição de recursos. É uma proposta coerente.
Segundo o folclore, o senhor seria seu próprio ministro da Fazenda, seu ministro do Planejamento, seu presidente do Banco Central e seu ministro da Saúde... 
Nossa! É folclore mesmo. Quem trabalha ou trabalhou comigo sabe que não centralizo a administração, que dou grande autonomia às diferentes áreas. Fixo metas, objetivos, acompanho, cobro, mas nunca imponho nada exótico ou irrealista. E mais: tenho grande capacidade de ouvir.
Como seria a política econômica em um eventual governo Serra? Qual é o perfil ideal para o cargo de ministro da Fazenda? 
A manutenção da estabilidade é inegociável. Isso significa manter a inflação baixa. Com a combinação dos regimes fiscal, monetário e cambial, caminharíamos sem rupturas para um ambiente macroeconômico cujo resultado inevitável seria a trajetória descendente dos juros. Uma taxa de juros menor é, aliás, condição para atrair mais investimentos privados destinados à infraestrutura, sem ter de dar os subsídios que hoje distorcem o processo. Quanto mais alta a taxa real de juros, maior é a taxa interna de retorno exigida pelos investidores privados em infraestrutura. Para compensar o juro alto, o governo é obrigado a dar subsídios.
E o perfil do seu ministro da Fazenda? 
É preciso ganhar a eleição primeiro. Mas sempre cuidei de reunir à minha volta, na administração e no Congresso, pessoas preparadas, prudentes, com reconhecido espírito público. Escolho gente experiente, com senso prático e desapegada de doutrinas – ou que, pelo menos, prefere acertar abandonando suas convicções acadêmicas a errar por fidelidade a elas. No governo federal, será desse mesmo jeito. Precisarei ter comigo auxiliares que entendam que a política econômica é um processo político também. Na política, para fazer com que as
coisas aconteçam, você tem de se equilibrar sobre o fio da navalha. É uma eterna balança entre paralisar-se por se aferrar a certas concepções ou abandoná-las de vez e se perder no caminho. Isso fica claro na negociação política. É menos evidente mas tão válido quanto na condução da política econômica.
Dê o exemplo de um economista que preencha os requisitos acima, a quem o senhor admire e com quem ainda não trabalhou. 
Olhe lá! Não estou fazendo nenhuma nomeação antecipada. Mas teria muitos exemplos. Um deles? O Arminio Fraga, como perfil. Sabe economia, é pragmático, não doutrinário. Soube navegar em mar revolto e deu enorme contribuição à estabilidade econômica do país ao instituir o regime de metas de inflação.
Por que no Brasil, apesar do enorme destaque atual no cenário da economia mundial, a discussão de política econômica é sempre revestida de ansiedade, como se vivêssemos em um estado permanente de emergência? 
O instantâneo da economia brasileira é realmente bastante satisfatório. Não diria o mesmo sobre o filme. Ou seja, se não forem corrigidas a tempo, as distorções atuais podem se desenvolver de maneira desfavorável. Essa é uma questão complexa que, infelizmente, talvez não possa ser tratada da maneira que merece em um clima de campanha, muito menos no escopo de uma entrevista. Mas, a título de fazer refletir, sugiro que se comece por responder a certas questões. A saber, por que razão o Brasil tem a maior taxa real de juros do mundo, a maior carga tributária do mundo em desenvolvimento e é lanterninha nas taxas de investimento governamental do planeta? Por que o suado dinheiro dos contribuintes brasileiros não está sendo bem aplicado em investimentos na infraestrutura econômica e social que garantam o crescimento sustentado da economia? É evidente que há um problema com esse modelo. É essa a discussão que precisa ser feita no Brasil.
O que o senhor faria para consertar esse modelo? 
Tenho experiência para equacionar as principais questões, a partir do primeiro dia de trabalho, caso eleito. Não existe uma bala mágica, um golpe que bem aplicado resolva todos os problemas. Isso exige um leque de ações coordenadas e bem planejadas, muitas das quais citei aqui e tenho exposto em fóruns e seminários. Minhas passagens pelo Executivo federal, estadual e municipal me permitem afirmar que, para começar, na saúde, mesmo sem gastar muito mais do que é gasto hoje, seria possível fazer uma revolução com resultados positivos a curto prazo. Na educação, logo no início do governo, trabalharia para atingir a meta de abrir 1 milhão de novas vagas em escolas técnicas de nível médio em todo o país, com cursos de duração variada e vinculados à vocação econômica de cada região e localidade. O Brasil tem pressa e precisa aproveitar o ciclo da economia mundial altamente favorável aos países emergentes. Temos de aproveitar o empuxo desse ciclo e emergir dele com uma economia moderna, exportadora de produtos de alto valor agregado, produzidos aqui por uma mão de obra sadia, preparada e consciente de que para ela o futuro chegou.

Por C/N

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:42





Brasília (18) - Expandir o bolsa família, investir em educação, voltar com os mutirões e recuperar a saúde no Brasil são compromissos do candidato tucano José Serra, se eleito para a Presidência da República nas eleições de outubro.

Os compromissos do candidato tucano foram assumidos durante importante programa do PSDB que foi veiculado na noite desta quinta-feira em cadeia de rádio e televisão para todo o País. O programa mostrou um Serra em família, descontraído e relatou as suas principais realizações ao longo de toda a sua vida pública que começou nos anos 60. Ou seja, desde a presidência da UNE (União Nacional dos Estudantes), à Câmara, como deputado constituinte, senador, prefeito de São Paulo e, depois, governador de São Paulo.

Por todo o Brasil, cidadãos que foram beneficiados pelos mutirões de saúde (como as operações de catarata, varizes e próstata) ou pelos programas de combate à Aids e às drogas, dão depoimento sobre a importância que o trabalho conduzido por Serra teve em suas vidas. Junto com eles, o candidato do PSDB acredita que o Brasil pode mais.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:41

REsposta de Terezinha a você:

Se na casa dele a mulher dele é mandada, na nossa casa, minha e de Jomar, há um diálogo livre e nós dois temos liberdadede decisão. Eu decidi fazer a greve de fome e comuniquei ao Jomar e aosmeus companheiros de partido. Não foi o Jomar quem MANDOU eu fazer greve. A decisão foi minha, que sou militante, dirigente e fundadora do PT. A visão de que só por ser mulher se devesempre ser mandada pelo marido,é uma visão machista e menor.  
RESPOSTA: Quem manda na minha casa é a suzy, pense numa mulher zangada!

Ele sequer me conhece e fica fazendo juízo de valor a meu respeito encomendado pelos seus chefes que não tem coragem de assinar nada contra mim. Estou fazendo uma greve de fome, pondo em risco a minha vida, pelos meus ideais e pelo que acredito, coisa que para os vermes é inimaginável.
REPOSTA: Você deveria ter feito greve de fome na sua eleição pra Deputada Federal, quem sabe a campanha sairia mais em conta  para a prefeitura.
Esse elemento devia se preocupar é com os problemas do partido dele, que numa traição frontal a Jackson, convida Lobão e Ildon pra inaugurar sua principal obra na cidade, além de ter deteriorado a saúde mais que o prefeito anterior e ter sido responsável pela morte de dezenas de crianças, e deixar a vida de pessoas de bem fora deseu blog de fococas.
REPOSTA: Falando nisso: Por que mesmo que Madeira vive com chamego com o Ildon?
Terezinha Fernandes 
RESPONDIDO POR: Suzinany, hoje o Holden está de castigo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:48

O que Dilma tem a esconder?

por Holden, em 19.06.10
Da Folha de São Paulo:


José Serra, candidato do PSDB à Presidência de República, sugeriu ontem que Dilma Rousseff, candidata do PT, não comparece a debates por ter algo a esconder. "Você não acha estranho que ela deixe de debater? Não é esquisito se ela quer ser presidente? O que ela tem para esconder?", questionou, em entrevista a emissoras de TV de Teresina (PI). Serra chamou a atitude de Dilma de "curiosíssima". Na semana passada, Dilma cancelou a presença em uma sabatina promovida pela Folha e pelo UOL, alegando conflitos na agenda. Ela está em viagem à Europa. Serra negou que, caso eleito, pretende parar a obra de transposição do rio São Francisco. Ele disse que a informação provém de uma "indústria da mentira" criada pelo governo Lula. Serra disse que a escolha do vice em sua chapa não é problemática, e sim uma preocupação da imprensa. E minimizou a importância da definição: "A população não sabe que o Michel Temer [PMDB] é vice da Dilma."

por coturno noturno

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:33

Ao perceber que eles poderiam morrer de fome e complicar a campanha de Dilma, os aloprados do PT através de seu presidente foram negociar com Dutra. Negociações feitas, Dutra encerrou o martírio e aceitou a proposta do presidente da organização.


Mas, o chefe-mór não deu as caras e fez conta que alí, a unica preocupação é a eleição da Dilmentira.
A fraca negociação aceita pelos rebelados do MA, mostra claramente que a parte mais fraca continua cada vez mais fraca. 
Com o levante de tentar colocar Flávio Dino no fogo cruzado, agora tentam convencê-lo a continuar sua candidatura com seus pequenos segundos de tempo no horário eleitoral. O que a governadora pretendia, agora esta em suas mão, os 7 minutos. O que restou para Dino, realmente deve ser repensado, se realmente vale a pena da sua fatia de cargos aos petistas. Sem voto e sem os 7 minutos agora se torna cada vez mais imponente, mas, quem seria o vice de Dino se agora a unica saida para Terezinha é colocar sua candidatura a vice de Roseana? Com o efeito da greve de fome, com certeza não ficaria uma foto muito animadora para a frente conservadora e os comunistas leninistas. Já pensou com ficaria uma foto de campanha com Roseana e Terezinha? Não tem apetite que sustente! Mas com a devida leitura renovadora, melhor seria Dino continuar candidato, abandonar os PTralhas, tentar o segundo turno, se não?! Vir com a frente de libertação. 


Agora, se Flávio vir com o PT não vai dar certo, haverá uma quebra de argumentos. Como o PT e Dino poderá vir apoiar Jackson e Serra contra Roseana e o PT do Lula?


Dificil de entender. Com certeza seria a maior junção da historia do Maranhão!
 Uma banda do PT, contra o PT.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:22

O blog Eu quero Serra é local de debate e aberto por Daniel, mas totalmente independente. Não tendo nem um motivo para que seja proibido de exercer sua opinião política, sua escolha pelo que é melhor para o Brasil.

MANIFESTO:   Este blog é totalmente contra qualquer tipo de censura, principalmente imposta pelos alienados comunistas do PT.

Fora Lula! Fora PT!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:06

Só tem uma diferença entre as partes, D. Terezinha Fernandes. 
1° Nosso blog não é do partido, como o blog do Hermes. Este que vive emitindo o desejo terrorista de abominar a todos que não são do PT.
2° Por que você não faz uma greve de fome em defesa dos famintos do nordeste, do norte e dos miseráveis do sul. Isso mesmo, ou você acredita mesmo que Lula matou a fome do povo brasileiro.
D. Terezinha, faça uma greve de fome justa e que gere algum resultado a população, essa sim merece um levante desse tipo. Posso tentar ajudá-la aqui, segue abaixo uma relação de motivos:

O Brasil possui um dos piores indicies educacionais do mundo, esta em 52° lugar, em uma lista de 57°.

O Maranhão tem um dos piores índices sociais do Brasil.

O Maranhão tem um dos piores índices de desenvolvimento.

O Maranhão tem um dos piores índices sociais de emprego e desenvolvimento.

Como você pode ver,  motivos tem de sobra para uma greve de fome, sem ideologia e sem demagogia. Quero ver algo sincero, sem motivações próprias e pessoais. Esse partido corrupto que a Sra. defende (posso da uma manerada nos adjetivos...) É o partido mais podre, e que mais apodreceu nos últimos anos. 

Terezinha, caia na real, seu partido não é mais o mesmo e nunca voltará a ser, antes um picareta pequeno, agora uma luxuosa organização criminosa.

Saia do PT, ele não pertence mais a vocês!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:40


O maior jogador da história do PSDB, vai jogar de novo, agora a tentativa é de ser vice governador. Hamilton Miranda tem se destacado na câmara municipal e nas rodas políticas, mas pelo simples fato dele não saber exatamente o que quer. 

Hamilton, o que realmente esse vereador quer? 

Depois de lançar apoio a diversos candidatos a deputado Federal e a Estadual a nova investida é tentar desarticular Pr. Porto que já posa de vice ao lado de Jackson Lago. Ficaria bem na foto, o vereador e presidente da câmara, que tal preparar um discurso presidente, eu posso até ajuda-lo:

"Povo do Sul do Maranhão, eu sou contra a oligarquia e quero acabar com o desmando de 40 anos!!! " 
Vai Hamilton, declara sua posição política frente a oligarquia!

O nome do vereador do PSDB, talvez seja um calo para Jackson carregar, um nome que pode ser usado a favor de Roseana, quem sabe plantar a imagem de boa companheira. Alguém duvida que a imagem é a parte mais importante para uma campanha?  

Vou continuar defendendo um nome forte, que demonstre a união da oposição, aquela em que teve seu governo interrompido, algo que o povo esperava e o tapetão resolveu intervir, de forma anti-democrática. 
Quer um discurso mais convicente? Decidir entre Porto e Hamilton, é decidir a arma que será usada, ou arriscar um tiro que sairá pela culatra.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:02

"Já demos tudo pelo PT, agora só falta dar nossa própria vida! Vou entrar em greve de fome, não por esses que usam nossa estrela apenas para vendê-la aos opressores, vou entrar em greve de fome pela História do PT, pelos lutadores do povo, inclusive aqueles que deram suas vidas pela liberdade e em solidariedade a Domingos Dutra e a Manoel da Conceição. O que fizeram conosco passou de todos os limites, portanto, não há mais limites. Vamos lutar até o fim". (Terezinha Fernandes).



*********************************************************************
"Nós, que demos o melhor de nossas vidas por este Partido, lutando nas Senzalas deste Estado, fomos trocados pelos moradores da Casa Grande, que até aqui passaram suas vidas massacrando tudo aquilo que sempre defendemos e acreditamos".(Jomar Fernandes)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:20

Domingos Dutra, ainda vivo, no twitter!

por Holden, em 13.06.10
A todo momento o Deputado maranhense que esta em greve de fome, vai atualizando seu twitter. Mande sua mensagem de solidariedade, ou simplesmente peça pra ele desistir, pois como sabemos, apesar que com o passar dos dias algumas emissoras de TV nacional comecem a se interessar pela luta, não vai adiantar em nada.


Twitter:   @DomingosDutra13

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:24





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D