23 fevereiro 2013

Esse é o PDT...


Seguindo as conveniências de uns poucos correligionários, o PDT realizou encontro nesta manhã em Imperatriz com o objetivo de lançar a pré-candidatura de Flávio Dino (PC do B).

Movidos pelas características de sempre: Quem manda é quem não tem voto. O partido teve a semana recheada, com um convite feito pelos parlamentares do PC do B, enviado a câmara e a presença marcante do ex-vice prefeito, desprestigiando as verdadeiras lideranças pedetistas, os vereadores Enoc e Rildo Amaral, que permaneceram nos bastidores e sem direito a discurso, sombreados sob o escudo protetor do ex-vice, que se quer deixou resplandecer a liderança de quem realmente tem mandato. Esse é o PDT.

Com a presença de lideranças políticas da região Tocantina, o Deputado Federal Weverton Rocha mais uma vez foi incisivo em afirmar o seu posicionamento para o partido, que é o de permanecer como uma legenda de aluguel, e para suprir suas conveniências, declarou que o partido estará empenhado em unificar a oposição para que aja um plebiscito na eleição de 2014, pois, segundo ele, este era o sonho de Jackson Lago.

Por outro lado, o ex-prefeito de Porto Franco, Deoclides Macedo, disse que as eleições de 2014 devem passar pelo PDT, pois, segundo ele, o partido é precursor deste movimento oposicionista, portanto, não poderia deixar de protagonizá-lo.  “Temos um histórico de luta na oposição e tudo começou dentro do PDT, não podemos simplesmente ser meros coadjuvantes nesse processo”, e adiantou que seu objetivo será de concorrer a câmara federal.

Tanto para os deputados federais Simplício Araujo e Domingos Dutra, o REDE, partido de Marina Silva, seguirá o projeto de eleição do comunista. “Estamos em um movimento para debater o Estado, não para chegarmos divididos, pois só existem dois partidos no Maranhão; de um lado o governo e do outro a oposição”, finalizou.

O que demonstrou mais uma vez que o PDT continuará seguindo as conveniências da eleição na capital, onde o PDT serviu de manobra para efetivar Weverton Rocha no mandato, deixando de lado o legado do partido protagonizador de todas as eleições na capital e continuará enquanto for necessário, sendo partido de Jean, de Weverton e de Amim, ou de quem quiser submeter-se ao objetivo de continuar enterrado o PDT.

Saudações,

Este é o PDT...

Postar um comentário