15 fevereiro 2013

Padre de Montes Altos desmente deputado Léo Cunha


É comum entre alguns legisladores, tanto Deputados Estadual/Federal, quanto vereador,  
- pelo menos na antiga legislatura de Imperatriz - apresentar-se em meio a recursos já liberados e enviar requerimento para se tornar “o pai da criança”, foi o que ocorreu com  o Deputado Léo Cunha no caso da reforma da torre de Montes Altos, desta vez a sociedade resolveu se manifestar e pôr fim a este tipo de crédito midiático, visto que quando isso ocorre, logo o "pretendente a ganhador do credito" sempre faz uma publicação nos jornais locais (veja aqui) afirmando ter sido o autor da liberação.

Em Montes Altos, o padre que reivindicou a reforma da torre de pisa, réplica da torre italiana, ganhou a reforma por parte do Estado e se indignou com a afirmativa do Deputado Léo Cunha em dizer que teria conseguido a reforma. Ficou feio! Veja abaixo a queixa formal do padre:



DEPUTADO LÉO CUNHA FALA INVERDADES SOBRE A TORRE DE PISA

Torre de Pisa (réplica) Montes Altos-MA
Em nome do Padre Brandão, venho publicamente desmentir o deputado LÉO CUNHA.

A iniciativa da Senhora Governadora, Roseana Sarney, em reformar a Torre de Pisa não foi a pedido do deputado Léo Cunha, mas sim, da própria governadora, após assistir a matéria veiculada no telejornal da TV Mirante, no dia 5 de fevereiro.

A governadora ficou muito sensibilizada com a matéria, onde mostrou o Padre Brandão acompanhado de diversas pessoas, andando pelas ruas, pedindo colaboração, de casa em casa. Em seguida, a governadora determinou ao chefe da Casa Civil, Luís Fernando, no mesmo dia, que mantivesse contato com o Padre Brandão, a fim de comunicá-lo o interesse do Governo do Estado do Maranhão em efetuar a reforma da Torre de Pisa. Essa determinação da governadora ao chefe da Casa Civil foi presenciada pelo Sr. Heitor Heluy. 

No dia seguinte, o chefe da Casa Civil perguntou ao prefeito Madeira, na presença do Sr. Ilson Mateus, durante uma reunião no Palácio dos Leões, se o prefeito saberia dizer qual era o telefone do Padre Brandão de Montes Altos, daí explicou que era um desejo da governadora reformar a Torre de Pisa. Ato contínuo, o Sr. Ilson Mateus informou ao chefe da Casa Civil que o Padre Brandão e eu, Júlia Gomes, havíamos estado no escritório dele, pela manhã, e que o Padre ainda deveria estar no Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região, para onde tinha se deslocado comigo.

Assim, fomos rapidamente localizados pelo chefe da Casa Civil, Luís Fernando, que pediu que fôssemos ao Palácio dos Leões porque tinha uma boa notícia para nos dar, em nome da governadora, Roseana Sarney.

No dia seguinte, 7 de fevereiro, participei pessoalmente de uma reunião no Palácio dos Leões com a governadora e a presidente do TRT da 16ª Região, desembargadora Ilka Esdra, e, na nossa presença, ela ratificou todas as palavras do chefe da Casa Civil. 

E mais, em momento algum, a governadora ou o chefe da Casa Civil disse que havia ocorrido algum pedido do deputado Léo Cunha nesse sentido. Pelo contrário, o deputado Léo Cunha havia telefonado, dias antes, ao Padre falando apenas que iria solicitar o tombamento da Torre de Pisa ao Município, o que foi de imediato rechaçado pelo Padre Brandão, pois a Igreja Matriz de Santana não tem interesse no tombamento desse monumento, pois entende que ficaria prisioneira de diversas exigências desse processo complexo e exigente, inviabilizando futuras reformas de forma mais rápida.

Logo após a chegada do Padre Brandão a Montes Altos (MA), ele divulgou um COMUNICADO por escrito, para toda a população, inclusive na Igreja Matriz, explicando como essa notícia da governadora chegou até ele e os motivos que o levaram aceitar que o Governo do Maranhão faça essa reforma, sob os olhares atentos da Igreja Católica e da população montealtense. 

Pois bem, esses esclarecimentos se fazem necessários em razão do Padre Brandão ter sido pego de surpresa com essas inverdades constantes na matéria veiculada no Jornal O Progresso, na data de hoje. E, inclusive, amanhã, será requerida oficialmente, em nome da Igreja Matriz de Santana, uma retratação imediata do deputado Léo Cunha e do próprio Jornal.

São Luís (MA), 13 de fevereiro de 2013

Júlia Gomes


Postar um comentário