28 maio 2013

CPI da Violência elogia rede de atendimento à mulher vitimizada de Imperatriz

Imperatriz - As deputadas estaduais Francisca Primo (presidente), Gardênia Castelo (vice-presidente), Cleide Coutinho, Valéria Macedo (membro) e Eliziane Gama, membro e autora do projeto que constituiu a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Violência Contra a Mulher, foram unânimes em elogiar a Rede de Atendimento à Mulher de Imperatriz, de responsabilidade da Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM).
Em audiência pública realizada quinta-feira (23), a titular da SMPM, Conceição Formiga, entregou à comissão um exemplar do Plano Municipal de Políticas Públicas para Mulheres, lançado oficialmente em 8 de março, Dia Internacional da Mulher. A gestora entregou também pauta de reivindicações que será encaminhada ao Governo do Estado.
Na pauta apresentada por Conceição Formiga, são solicitadas a criação de uma delegacia de polícia especializada para mulher, a recuperação da
atual, que atende crianças, adolescentes e mulheres, e um centro de recuperação do agressor. Ela afirmou que a secretaria tem procurado manter parceria com a Vara e Promotoria de Defesa da Mulher, bem como com todos os órgãos que compõem a Rede de Atendimento à Mulher.
"Redigimos o plano municipal, instalamos um banco de dados que pode não ser moderno, mas é de grande utilidade, mais que tudo isso é o nosso trabalho e comprometimento com a causa das mulheres", concluiu a secretária.
Representando a Câmara Municipal, a vereadora Caetana (PSDB) disse que a preocupação dos vereadores não é apenas visitar obras realizadas pela administração municipal. "Nós temos um compromisso social e de maneira especial com as mulheres", destacou. De acordo com ela, o Município avançou muito com a criação da Secretaria da Mulher.
A juíza Sara Fernandes Gama, titular da Vara de Defesa da Mulher, disse, inicialmente, que, ao tomar conhecimento da CPI, ao lado das representantes da SMPM e demais órgãos da rede, procuraram elaborar uma pauta de reivindicações para ser entregue à comissão.
A magistrada agradeceu à Assembleia Legislativa por ter aprovado recentemente uma Moção de Aplauso ao seu trabalho. "Nós queremos receber críticas, mas também recebemos de bom grado o reconhecimento", afirmou.
Ausência - A deputada Eliziane Gama disse ter sentido a ausência da delegada da mulher, ressaltando que Imperatriz precisa e merece uma delegacia especializada da mulher, um centro de ressocialização do agressor e um centro de perícia.
Presente na audiência, o prefeito Sebastião Madeira, sentado ao lado da deputada Gardênia Gonçalves, falou da satisfação de receber as deputadas, porém, como uma forma de reconhecimento, lembrou que o prédio da Câmara Municipal que abrigava o encontro foi construído pelo pai dela, João Castelo, quando governador do Estado.
"Ele também construiu o prédio da Prefeitura, do Fórum e ainda asfaltou cerca de 80 quilômetros de ruas. Portanto, não poderia deixar de fazer esse registro em forma de reconhecimento", concluiu Madeira.
O Estado
Postar um comentário