17 junho 2013

Aumenta número de leitos no Hospital Municipal de Imperatriz

Com o reforço, são 400 leitos nas enfermarias do Hospital Municipal de Imperatriz

Com o objetivo de proporcionar melhores condições de acomodação aos pacientes, foram instalados e inaugurados na primeira quinzena do mês de junho, novos leitos de enfermagem, no Hospital Municipal de Imperatriz, o Socorrão. “O acolhimento está sendo feito com 400 leitos”, informa Alisson Mota, Diretor Geral do hospital.
Segundo ele, a luta a partir agora é para conseguir um novo hospital. “O prédio atual do Hospital não tem mais capacidade (espaço físico) para reformas – construção de novas salas ou leitos. “Inclusive já enviamos ofícios para Promotorias, Defensoria e Ministério Público informando sobre a situação”, ressalta.

Sobre a capacidade, o diretor esclarece: “Além do alto volume de pacientes que temos, o prédio do hospital que a gente tem é velho, por isso estamos lutando para conseguir um prédio novo dentro dos moldes que tem que ser, e partir daí resolver todas estas questões. O prefeito está articulando junto aos deputados, recursos para disponibilizar aos imperatrizenses um novo hospital com 500 leitos”.
Questionado sobre reclamações dos usuários quanto a atendimento, ele explica que o H.M.I é o Centro de Referência no atendimento de urgência e emergência para a região Tocantina, que reúne cerca de 100 municípios e concentra mais de um milhão de habitantes. O hospital recebe diariamente acidentados de diversas cidades e realiza cirurgias consideradas simples, até as mais complexas.

“Em decorrência desse alto volume de pacientes pode ocorrer esporadicamente super lotação e espera no atendimento, mas não é a regra”, justifica Alisson Mota, explicando que a contrapartida que cabe ao município está sendo feita pelo Prefeito Sebastião Madeira, mas que se esbarra sempre na mesma questão: demanda maior que oferta, em decorrência da super lotação de usuários dos municípios vizinhos.
Segundo o diretor, tudo que está no alcance da gestão para melhorar a saúde do município, está sendo feito pela Secretária Conceição madeira, porém existem algumas questões que são mais demoradas para se resolver, devido serem mais complexas

A questão da higienização, agente treina os funcionários, mas enfim, a parte de cima do Hospital é melhor, porque o pronto socorro realmente tem um volume alto de paciente. Mas na verdade é um hospital velho, que agente ta lutando agora para ver se consegue um hospital novo dentro dos moldes que tem que ser, e todas estas questão vão está resolvidas, inclusive já estamos articulando para que isso ocorra. O prefeito está conversando junto com os deputados, porque precisa de uma bancada para para destinar os recursos para o Hospital, então ele tem conversado com os deputados da região para saber quem se dispõe a ajudar neste sentido.

Pode ter alguma dificuldade no pronto socorro por causa do grande volume de pacientes, então em algum momento pode ocorrer esporadicamente, mas não é a regra, como também a forma de imobilizar o paciente.  Dificilmente tenha ocorrido isso, porque normalmente os pacientes chegam la com colar, chegam bem imobilizados... Não é uma regra isso não, pode ter ocorrido uma caso isolado. Hoje mesmo antes de vim pra cá, chegou uma paciente grávida, na maca, imobilizada.
Acho difícil, isso não acontece não.

Precisamos de um Hospital Municipal próprio porque aquele é arrendado, dentro dos moldes que se exija agora, até porque a capacidade de leito dentro do Hospital se esgotou. Quando começar encher de gente, vai ficar é nos corredores igual Brasília, Belém, São Luis... Já enviei currículo, para Promotorias, Defensoria, Ministério Público e todos os órgão competentes falando justamente disso ai.

[Maria Almeida – ASCOM] 

Postar um comentário