04 junho 2013

Quando generalizar vira injustiça...

É extremamente repugnante a noticia que alguns blogueiros e, ou até mesmo jornalistas, estariam fantasiando denuncias para extorquir prefeitos da região. O fato é que, não desmerecendo a denuncia, mas questionando a que ponto o próprio gestor de um município  deveria discordar das queixas e se, de alguma forma, as mesmas forem mentirosas, que usem a justiça ou o direito de resposta (o segundo não apaga o estrago) para resguardar a verdade e até para que isso não venha continuar acontecendo.

Focinho de porco não é tomada, pode até parecer...

O que não é certo é sempre ouvir de vereadores no uso da tribuna, destacar o erro de blogueiros e jornalistas de forma geral, como se estes não fossem responsável por si. 

Ao generalizar uma classe, o locutor comete uma injustiça, mesmo quando tenta julgar um ato sem apontar o acusado, ou o possível responsável pelo que considero um ato ilícito e imoral.

Ao que vejo, que assim como os prefeitos que tem medo da extorsão, até por não estar conduzido seu município de forma idônea, - pois o medo da imprensa evidencia a isso - , o vereador também estaria, de certa forma, aceitando a acusação. Então, qual receio (ou medo) um legislador teria de tratar um caso e citar os nomes no uso da tribuna, visto que, nem responderiam judicialmente, por ser inviolável no exercício do seu mandato?

É necessário que seja revisto esse tipo de opinião de uma forma geral, “e quem não tem coragem de botar o bumbum de fora que não levante a saia”, pois, não se pode condenar ou formar conceito sobre a coletividade em detrimento de um ato repugnante de uns poucos, sendo assim, taxaríamos até mesmo os políticos, “desmerecidamente”, claro, também de forma coletiva, pois para uma parte dos desinformados que buscam soluções na desmoralização daqueles poucos que sacrificam sua vida em função da vida publica; 
- "Todo politico seria ladrão"
Postar um comentário