06 julho 2013

Animais de prontidão...


A culpa pela morte de um animal, sem água ou por maus tratos ou seja do que for, não é de quem promove um evento, que, por sinal, é tradicional e reflete economicamente o quanto nossa região é importante, e se faz importante. 

Na Expoimp, onde até os hipócritas que criticam a cavalgada irão, milhões serão investidos em equipamentos agrícolas, em leilões e outros tipos de negócios que engrandecem a festa e consolidam o potencial que Imperatriz dispõe. Mas temos uma indignação hipócrita de sempre tentar condenar o governo porque o cavalo morreu, ou o Sinrural, porque um animal que estava em cima de um cavalo o chicoteou. Somos hipócritas, mas vamos tirar, mesmo assim, pelo menos um dia para ir ao parque. Somos hipócritas (isso mesmo, de novo) e consumistas, apesar de odiarmos a burguesia consumista.

O que é extremismo é achar que deve acabar a tradicional cavalgada porque algumas pessoas, além de encher o pé de cana, ainda chicoteiam seus cavalos, o que ao certo, o que deveria mesmo ocorrer é a punição aos cavaleiros, desprovidos de comportamento humano racional.

Quanto a policia, daria um bom exemplo em detectar os proprietários dos animais, averiguarem os excessos e puni-los, pois, apesar de alguns terem cuidados extremos com os seus, ainda ocorre do mesmo não resistir e vir a morrer após o evento, em função do sol escaldante e o asfalto mais quente ainda.

Afinal, detesto os animais que maltratam os animais, mas detesto mais ainda as hipocrisias, proporcionada por quem são verdadeiros animais.

(Fotos de cavalos mortos da cavalgada de hoje, postada no facebook)
Postar um comentário