21 julho 2013

Depois de 22 anos, Festival Aberto volta com nova versão

“Zé Geraldo, Raimundo Sodré, Diana Pequeno, Morais Moreira, Gilberto Gil, Quinteto Violado, entre outros cantores da MPB, um espetáculo que o Brasil ficou conhecendo”, comenta o apresentador de TV Ernando Farias Timóteo, criador do Festival Aberto, que teve primeira edição realizada no ano de 1986, no extinto balneário Estância do Recreio. Os nomes citados por ele foram as atrações principais do festival realizado 22 anos atrás.
“O Faber foi criado por Henrique Guimarães, Faber. Criei o festival e pedi para que ele criasse a sigla. Ele criou Festival Aberto Balneário Estância do Recreio, nós éramos diretores de lá. Ficou Festival Aberto”, lembra Timóteo. Pratas da casa na época, como Carlinhos Veloz, Eramos Dibell, Neném Bragança e Zeca Tocantins, foram cantores que aproveitavam o momento inédito da história de Imperatriz para mostrarem talentos.


Participantes do Paraguai, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Belém e Goiânia também marcaram presença, mas o primeiro lugar ficou com o cantor Eramos Dibell. A última edição realizada, segundo Timóteo, foi no ano de 1991. “Todo esse período sem o festival foi um grande prejuízo para a cidade. Foi a partir do nosso festival que criaram festivais em outras cidades, que ainda hoje existem”, declara o organizador.

A nova cara do festival é voltada para a música gospel. “Em Imperatriz temos mais de mil cantores gospel. São cantores de uma igreja que não conhecem cantores da outra igreja. Então, este é um trabalho para reunir, para todos participarem. Vão sair de dentro da igreja para cantar pra quem não é da igreja”, explica o criador da atual versão.

O processo de triagem escolheu 24 músicas dentre as 75 inscritas. Serão duas eliminatórias com 12 apresentações cada, de onde sairão seis de cada noite (a primeira foi ontem), para disputar a grande final no domingo, dia 21. Serão premiados 1º, 2º e 3. Todas as 12 finalistas estarão no DVD do 1º Festival Aberto de Músicas Gospel, que será gravado durante as apresentações.

Além de pratas da casa, o público vai prestigiar o talento de músicos de cidades maranhenses como Açailândia, Santa Inês e João Lisboa. Um cantor do estado da Paraíba e outro da cidade de Florianópolis-SC desistiram do festival por não terem como bancar despesas da viagem, segundo a organização. O evento acontece no Centro de Convenções de Imperatriz.

Hemerson Pinto

Postar um comentário