21 agosto 2013

Alckmin defende prévias para a escolha do presidenciável tucano...

Paulo Gama_  Folha

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), defendeu que o candidato a presidente de seu partido em 2014 seja escolhido por prévias e fez uma comparação com a escolha do nome que representaria o partido Democrata nos Estados Unidos, em 2008, para dizer que a disputa interna pode desbancar favoritismos.
"Eu me lembro que quando fui aos Estados Unidos em 2007, cheguei lá em janeiro, se dizia que a candidata era a Hillary Clinton, ela já estava praticamente escolhida. No entanto, nas primárias americanas, o Obama foi uma revelação", disse Alckmin, na manhã desta quarta-feira (21), após evento no Palácio dos Bandeirantes.

No PSDB, o ex-governador José Serra e o senador Aécio Neves têm debatido publicamente a melhor forma de definição do candidato tucano à Presidência. O partido já realizou prévias para decidir quem concorreria à Prefeitura de São Paulo, mas essa seria a primeira vez que a consulta aconteceria para definir um postulante ao Palácio do Planalto.
Aécio, que hoje é presidente nacional do sigla e tem apoio da ampla maioria dos dirigentes do PSDB, disse ontem que seria favorável a prévias se, após outubro, a sigla tiver mais de um nome interessado em disputar o cargo.

Serra, que já disputou duas vezes o Planalto, tem se movimentado como presidenciável e estuda até deixar o PSDB para disputar a Presidência por um outro partido, o PPS.
Hoje, no entanto, é consenso no PSDB que numa prévia Aécio teria vitória folgada sobre Serra. Por isso, aliados do ex-governador defendem que, no caso de uma disputa interna, o colégio eleitoral seja o mais ampli possível, não se restringindo aos dirigentes da sigla, onde Aécio tem larga vantagem.

Alckmin fez coro com os serristas e disse acreditar que "quanto mais você ampliar a consulta, melhor". "Nos Estados Unidos até quem não é filiado pode votar, mas é um modelo diferente", ponderou.
Postar um comentário