28 agosto 2013

Hostil e insano...

A estratégia de hostilizar os médicos cubanos no Estado do Ceará é algo que deve ser repudiado por todas as esferas e ideologias políticas, mas também ficou evidente que não é algo politico, mas ligado a uma minoria de alunos. Claro que algumas posições contrárias devem existir, mas que não representam de forma alguma o pensamento do povo brasileiro, principalmente na forma racista que ocorreu o episódio. 

 Algumas questões como a forma de contratação, que sem duvidas deve ser rigorosamente questionada, não impedem que esses profissionais da medicina que estão no país exercem suas missões. E principalmente eles que não tem culpa das desgraças de seu país, devem atender e prestar um bom serviço social no Brasil.

Temos grande necessidade de atendimentos médicos, na sua maioria por culpa do próprio governo que não previu em nenhum dos dados que demonstram algum tipo de problema relacionado a demanda, que o país precisava se desprender de algumas questões.

Centena de brasileiros tem procurados outros países para iniciar um estudo superior na área da medicina. Exatamente por conta da mesma dificuldade para ingressar em uma faculdade no Brasil. 

O que deveria ter sido feito, claro, é o governo ter ampliado a oferta de cursos e com certeza a situação da saúde publica, com relação a atendimento médico estaria menos precária, o que não restringe e nem condiciona a qualidade quando se trata da questão estrutural.

Todo tipo de preconceito deve ser repudiado, principalmente por aqueles que viam no governo uma porta de oportunidades e agora vêem, no mesmo governo, uma larga porta de concorrência, proporcionada pela entrada dos médicos no Brasil.

Então, a culpa é de quem? Claro que não é da população mais necessitada, que não quer nem um pouco saber de onde virão os médicos.
Postar um comentário