29 agosto 2013

Prefeitura, judiciário e Ministério Publico se calam sobre denuncias de radialista...


Um radialista que apresenta um programa em Imperatriz, na tv band, falou hoje (29), que o prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira, não investiria em abastecimento de água, (é de responsabilidade da Caema), por não haver divisão de dinheiro (sic), insinuando, sem meias palavras, que os unicos recursos que o prefeito se interessava seriam da saúde e os destinados para asfalto, pois, ainda segundo ele, daria para ser dividido.

 Na eleição do ano passado, esse mesmo radialista, na época candidato a prefeito, se dirigiu por várias vezes ao judiciário e ao Ministério Publico, afirmando que o sistema teria sido comprado pelo atual prefeito. Este ano (2014), as denuncias continuaram sendo feitas, mas estranhamente nenhuma delas foram investigadas ou emitido qualquer nota por parte dos supostos envolvidos.

Nos ultimos dias o que tem ocorrido é que o mesmo judiciário e o Ministério Publico passaram a conceder entrevistas neste programa, como se todo o ranço tivesse sido resolvido, como se não existisse mais qualquer queixa ou denuncia, como se tivessem fumado o cachimbo da paz. 

As denuncias feitas pelo radialista não só colocam em duvidas as ações do judiciário imperatrizense, como tira todo o respaldo nas decisões que saem do fórum local. Para os magistrados, que no uso do seu poder de julgamento, se atém aos fatos e despreza qualquer sentimento individual, é como se tudo que tivesse sido aprendido ao longo de sua história na magistratura fosse igualado a todo o sistema corrupto, que talvez não seja o caso de Imperatriz.

Em Imperatriz o que não é possível compreender, é como é possível o prefeito de Imperatriz, o Judiciário e o Ministério Publico se curvarem a todas as denuncias, sem emitir qualquer nota ou mesmo pedir a apresentação das provas de tais denuncias judicialmente, é como se existisse, de fato, algo que esse apresentador pudesse intimidá-los.

Estaria esse sujeito sobre um manto intocável, que nem mesmo a lei não o atingiria? E que  poder é esse, que cala juízes, promotores e prefeito?

É preciso que todo esse sistema,(judiciário, MP e prefeitura), venha a público o quanto antes e se justifique, ou se defenda, e se as denuncias forem de fato infundadas, que o autor seja responsabilizado.

O que a sociedade não pode aceitar é que denuncias como estas sejam desprezadas pelas partes supostamente envolvidas.
Postar um comentário