20 setembro 2013

Condenado afirma que a Justiça só protege o criminoso

O conceituadíssimo jornalista da “TV Chico do Rádio”, Justino Filho, disse, ao vivo, nesta manhã de sexta-feira, 20 de setembro de 2013, exatamente a poucas horas de iniciar a audiência pública de prestação de contas do Judiciário de Imperatriz, que a “Justiça protege o criminoso ao invés de proteger quem denunciou o crime”.
Justino Filho sustentou, do alto de sua “legítima” indignação, que há uma rede de proteção na Justiça de Imperatriz para proteger “os cara criminoso(sic)”. Ele arrematou o insuspeito comentário dizendo que não tem interesse em processar quem “tem chifre” (?).
Radialista acusou sistema de justiça da cidade
Já na quinta-feira, 19 de setembro de 2013, ou seja, um dia antes, na telinha da Band, Justino Filho aproveitou para zombar da Justiça, quando levantou os pulsos e disse, em êxtase, diante das câmeras de TV: “vocês tão vendo alguma pulseira de Roberto Carlos aqui (algemas)? Eu tô é muito preso!”
A zombaria de Justino teve endereço certo: a sentença prolatada pelo Juiz Marco Antonio, do Juizado Especial Criminal, que o condenou a 19 meses de prisão, mais multa, por prática dos crimes de calúnia e injúria, perpetrados em 2011, contra o secretário Municipal de Educação de Imperatriz, o professor Zesiel Ribeiro.
E não pára por ai. Há dois meses, Justino Filho, ao participar do “programa Imperatriz 24 horas”, do também respeitadíssimo jornalista Conor Pires de Farias, denunciou um esquema de corrupção no Judiciário de Imperatriz patrocinado com verbas da Prefeitura.
Fórum local
Na ocasião, o “Justiceiro do Ar” não só confirmou a grave denúncia como também garantiu que tem provas de que dinheiro do Município de Imperatriz foi parar no Judiciário para sustentar o dito esquema de corrupção.
Justino Filho atestou, todavia, que a única pessoa séria no Judiciário local é a juíza de direito Ana Lucrécia, autora da decisão que cassou o Prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira, que poupou a população dos péssimos serviços de limpeza da Marquise, economizando mais de 300 mil reais por mês.  
BIOGRAFIA
Justino Oliveira Filho, que se arvora jornalista, responde a inquéritos policiais por furto e receptação. Ele já foi condenado outras vezes pelos crimes de calúnia, injúria e difamação, e mais recentemente é alvo de uma investigação, que corre em segredo, que apura eventual vampiragem com dinheiro da Saúde do Estado do Maranhão, do sistema SUS, através de uma triangulação criminosa, envolvendo uma empresa terceirizada de administração de hospitais públicos, agências de publicidade de fachadas e autoridades do Executivo e Legislativo Estadual maranhense.
Há informações que parte do dinheiro SUS, além de irrigar as contas correntes de gente poderosa, ia, também, para as contas de alguns jornalistas e donos de empresas de comunicação em Imperatriz, com “mensalinhos” de 1.000,00 a 5.000,00.
Até mesmo um grande magazine da cidade é suspeito de ser usado para lavagem de dinheiro da vampiragem.
Com a palavra o senhor Justino Oliveira Filho e o Judiciário do Maranhão...
Postar um comentário