23 outubro 2013

Depois de dormir no ponto, vereadores ensaiam retirada de assinaturas da CPI da CAEMA...

Em Imperatriz, não há quem não sonhasse que enfim ocorresse algo parecido com a formação da Comissão Parlamentar de Inquérito instaurada para investigar a CAEMA.

Charge criada em meio ao caos
proporcionado pela Caema
A empresa Estatal detentora do direito de administrar os serviços de abastecimento e saneamento da cidade de Imperatriz, é uma empresa que age como outra qualquer, quando se trata de cobrar, mas se abstém das suas obrigações no momento de investir na melhora da prestação dos serviços e dar a sua contrapartida natural sob a ótica de que, qualquer empresa tem que investir em qualidade para manter a sua clientela satisfeita.

Mas a CPI, que foi aprovada em função dos desatentos da base governista na câmara deve estar prestes a ser dissolvida. Uma equipe foi indicada para trabalhar a retirada das assinaturas dos vereadores que votaram a favor da CPI. A convocação, apesar de não confirmada, existe indícios que pode ter vindo da Secretaria de Saúde do Estado, que tenta minar o constrangimento ao diretor da Estatal e ao próprio secretário, Ricardo Murad.

É preciso compreender o interesse que diverge com relação a responsabilidade, e se existe uma base, claro que ela também é responsável por qualquer questão que possa ser exposta e que de alguma forma venha a confrontar o governo.


O desgaste é inevitável, mesmo que a quantidade diminua no passar dos próximos dias. A CPI tem um prazo de 90 dias para ser instalada e nesse prazo, muitas águas, que com certeza não são da CAEMA vão rolar, ou, vão passar por debaixo dessa ponte.
Postar um comentário