09 outubro 2013

SOBRAM EQUÍVOCOS NA CONCESSÃO DE HORARIAS DO LEGISLATIVO MUNICIPAL

Uma mega confusão tem cercado os debates da câmara de vereadores de Imperatriz quando se trata do título de cidadão imperatrizense ou sobre quem deve receber a medalha do mérito legislativo.

Medalha do Mérito Legislativo 
Mas não é de hoje que o debate se estende. A medida que as cadeiras são ocupadas por novos vereadores, isto em quatro em quatro anos, ou até muito pior, os que esqueceram o regulamento que eles mesmo propuseram no ano anterior. O problema é que, como já em muitas citações criticou o ex-vereador Edmilson Sanches, não existe critério para tal.

Segundo o vereador João Silva, o mérito legislativo seria para funcionários da casa, o que acabou por induzir o outro vereador, Marco Téorema, que tentava conceder a aprovação dos demais colegas para homenagear uma indicação sua, dessas que realmente merece uma medalha.

A indicação do vereador comunista, retirada após o equivoco na interpretação do J.Silva, seria para uma senhora que instalou na sala da sua residência uma biblioteca pública, e que auxilia jovens estudantes e a própria comunidade da Vila Cafeteira sem cobrar um vintém.

Pois bem. O equivoco do jurista e vereador Silva se deu a partir da sua interpretação de que a medalha legislativa seria para funcionários da casa de leis.

João Silva
Vejamos então: A medalha, no entanto, não é uma homenagem interna, o que poderia se dar a partir de gratificação salarial ou qualquer outra forma de honraria para prestadores de serviços, isto porque os profissionais da casa, apesar de toda a sua dedicação, não passam de servidores, seja concursados ou não, portanto, qualquer homenagem deveria vir por regulação interna e não por premiação publica, feita para homenagear pessoas da sociedade que, de alguma forma contribuíram com o legislativo.

E se não há, pelo amor de Deus, que os nobres legisladores revejam seus conceitos, mas, na minha pouca visão como gestor, o nobre jurista limitou uma horária da cidade, portanto, publica, aos servidores da câmara, que é um erro que deve ser reparado.


A indicação do vereador Marco Teorema não deve ser retirada, afinal, a medalha é um incentivo e uma demonstração de respeito pelo trabalho social realizado espontaneamente por pessoas da comunidade, e talvez mereça até mais que isso, talvez até uma ajuda do próprio poder legislativo, que este sim não tem qualquer auxilio social na cidade. 

Postar um comentário