15 junho 2014

Ministério Público pede providências à Funai sobre crianças indígenas esmolando no Maranhão

O Ministério Público Federal do Maranhão (MPF/MA) recomendou à Funai e `Polícia Rodoviária Federal (PRF) que que impeça a presença de crianças e adolescentes da etnia Guajajara, na Terra Indígena Cana brava, pedindo esmolas nas margens da BR-226 entre Grajaú e Barra do Corda. Segundo informações da PRF, um grande número de crianças e adolescentes indígenas tapam buracos na rodovia e atravessam cordas na via pública para parar os veículos e, assim, pedirem dinheiro aos condutores.


O MPF/MA recomenda que seja promovida uma discussão com a comunidade indígena, especialmente com os pais das crianças, informando sobre os riscos de tal prática, e envolvendo os integrantes da etnia na proteção dessas crianças e adolescentes.

Embora os índios já tenham uma terra indígena demarcada para que possam viver de acordo com a sua cultura, os índios insistem em pedir esmolas para comprar biscoito recheado. Por essa razão, a Funai deve analisar a viabilidade de inclusão das famílias indígenas e das crianças em programas que possam garantir a sua subsistência

A Funai tem 15 dias para atender à recomendação, apresentando ao MPF/MA medidas a serem tomadas para sanar os problemas observados e o prazo para a resolução integral. É segunda fez que o Ministério Público pede providências à Funai. Não houve resposta ao primeiro pedido.

Veja imagens dos índios pedindo esmolas na BR-226. As imagens foram enviadas por um colaborador do #Qi.


Enquanto isso a Sônia Guajajara passa bem guerreando por mais terra na Apib.

Por Questão Indigena
Postar um comentário