01 dezembro 2014

Mensalão de Carolina-MA: Vereador é acusado de receber propina do prefeito.

Esquema pode ser desmentido com autorização do acusado para abertura de seu sigilo bancário, bem como de seus familiares mais próximos
Enfermeiro Hélio é acusado de receber propina para votar em candidato do prefeito na Eleição da Mesa Diretora da Câmara
Enfermeiro Hélio é acusado de receber propina para votar em candidato do prefeito na Eleição da Mesa Diretora da Câmara
O vereador Marquinho Cirilo (PMDB) é o novo presidente da Câmara Municipal de Carolina para o biênio 2015-2016. Ele foi eleito na sexta-feira (28) durante sessão onde foi revelado mais um esquema de corrupção envolvendo dinheiro público na gestão do prefeito peemedebista Ubiratan Jucá.
Uma fonte do atual governo municipal informou ao Cidade em Ação que o vereador Hélio Júnior Barbosa (PCdoB), conhecido como Enfermeiro Hélio – e colocado na chapa da Oposição como Primeiro-Secretário –, traiu os colegas de bancada que apoiavam o vereador Fernando Filho (PMDB) para presidente e teria recebido R$ 50 mil para votar no candidato apoiado pelo prefeito. A acusação é grave e merece investigação.
A situação não tira de Marquinho Cirilo a sua competência para presidir o Legislativo. Porém, é um péssimo início de gestão – já manchada por suspeita de corrupção.
A chapa formada por Fernando Filho como candidato a presidente; Humberto Pombo (PCdoB) como vice-presidente; Hélio Júnior Barbosa com primeiro-secretário; e, Idalina Santos como segunda-secretária, foi apoiada ainda pelos vereadores José Filho e Reginaldo Dias – ambos do PSDB. A Oposição, então, contava com seis votos – a maioria simples dos onze parlamentares que formam a Câmara Municipal de Carolina.
Dessa forma, a eleição de Marquinho só teria sido possível porque além do suposto recebimento de R$ 50 mil reais, o vereador Enfermeiro Hélio deixou de votar na chapa a qual pertencia para se beneficiar financeiramente de recursos públicos.
Os vereadores Humberto Pombo e Idalina Santos, que vinham atuando de maneira independente no Legislativo Municipal, honraram o compromisso assumido com a chapa encabeçada por Fernando Filho. Os parlamentares se dignaram a combater a corrupção endêmica do governo Ubiratan Jucá.
Hélio Barbosa foi eleito vereador no palanque da Oposição com apoio de cabos eleitores dentro da Secretaria de Saúde, mas após eleição trabalhou apenas pela nomeação e melhor salário da esposa, a enfermeira Tarciana Barbosa, como diretora do Hospital Maternidade Infância (HMI).
Por este motivo e por causa do vereador votar e ser favorável a tudo o que é de interesse do prefeito, a polêmica acusação dos R$ 50 mil embolsados nesta sexta já está sendo chamada de Mensalão da Saúde.
O esquema montado para eleição de Marquinho Cirilo pode ser desmentido pelo próprio vereador acusado de receber propina. Basta sua dignidade fazê-lo autorizar a abertura de seu sigilo bancário, bem como de seus familiares mais próximos.
O prefeito Ubiratan Jucá também deve ser alvo de investigação de compra de votos no Legislativo. Não há garantias que outros parlamentares não estejam envolvidos.
Postar um comentário