14 abril 2015

AGIOTAGEM: Rogério Cafeteira diz que emprestou 300 mil a Andrea Murad e se enrola.


Deputado Rogério Cafeteira (PSC)
Deputado Rogério Cafeteira (PSC)
Foi grande a discussão entre o deputado Rogério Cafeteira (PSC) e a deputada Andrea Murad (PMDB), durante a sessão de hoje (14). Para se ter ideia, Cafeteira partiu para cima de Andrea. A turma do deixa disso precisou de meter para o líder do governo não fazer uma basteira.
Tudo começou quando a peemedebista foi denunciar um contrato que o Detran (Departamento Estadual de Trânsito) fez com a empresa BR Construções.
Ao invés de sair em defesa do governo, Rogério preferiu atacar Andrea e questionou a prestação de contas da deputada à Justiça Eleitoral.
Cafeteira começou a falar das contas de campanha de Andrea Murad e acabou se complicando ao dizer que emprestou dinheiro para a deputada, por meio de uma terceira pessoa – da qual não citou o nome.
“Eu vou lhe dar a oportunidade de esquecer a questão dos R$ 300 mil e agiota eu nunca fui porque eu nunca tive dinheiro para emprestar para ninguém. Essa foi uma questão, deputada, de amizade, é uma pessoa muito próxima sua e que estava no desespero e me procurou. E eu vou lhe dizer a agência, a ITAÚ Personnalité da Avenida Holandeses”, disse o deputado, confessando da tribuna da Assembleia que emprestou dinheiro para campanha da deputada.
Deputada Adrea Murad (PMDB)
Deputada Adrea Murad (PMDB)
Andrea Murad, por sua vez, rebateu o parlamentar e perguntou se ele era agiota. “V. Exa. desceu desta tribuna me acusando. Inclusive, primeiro, V. Exa. se contradiz todo, se enrola. Diz que minha campanha é milionária, que a minha campanha é muito rica, que a minha campanha foi a mais cara da história e desceu da tribuna dizendo que me emprestou R$ 300 mil. Caixa 2 ou V. Exa. é agiota? Quero saber. Em primeiro lugar, se alguém lhe pediu R$ 300 mil emprestado não foi eu, não foi em meu nome. V. Exa. não pode fazer uma acusação dessa. Vai ter que responder na justiça”.
A revelação de Rogério Cafeteira foi muito grave e a Justiça tem o dever de acionar os parlamentares para esclarecerem sobre essa revelação de um possível caixa 2, durante as eleições do ano passado.
O caso é gravíssimo e merece ser apurado.
Postar um comentário