08 abril 2015

Municipios pequenos foram usados na gastança das Ocipe's beneficiadas por Ricardo Murad

Contratos que superam R$ 100 milhões com a saúde, fazem do dirigente do PSDC no MA uma marionete do ex-secretário de saúde Ricardo Murad.
SAM_1179
Com a perda dos contratos na saúde, bateu o desespero em Aragão que quer impedir licitação no setor que antes atuava com o IDAC
Por Domingos Costa
O ex-secretário de saúde do estado Ricardo Murad realmente revolucionou a saúde do Estado do Maranhão. Nunca um secretário usou tanto a pasta para fins políticos partidários. Murad fez a SES jorrar dinheiro público em prol de seus interesses eleitorais, os sofres da saúde foram entregues em sangria total ao novo governo.
Talvez, por isso justifica as declarações embriagadas de Murad durante comício na Cidade de Coroatá: “Eu não quero imaginar a nossa vida sem o governo,  será a desgraça, a treva, o fim do mundo”, disse, na ocasião.
Uma das Oscips que mais faturaram no governo Roseana Sarney(PMDB), foi o Instituto de Desenvolvimento e Apoio à Cidadania – IDCA, de propriedade de Antônio Augusto Silva Aragão, por coincidência, presidente do diretório regional do PSDC – Partido Social Democrata Cristã, legenda com sede na Rua do Egito, no Centro de São Luis.
Curiosamente, o dono do IDAC, foi escalado pelo ex-secretário de Saúde, Ricardo Murad para tentar atrapalhar o novo modelo de administração da Secretaria de Saúde.
Ontem, segunda-feira 07/04, Aragão junto com outro colega de partido, entraram na Justiça contestando o processo seletivo para contrato de gestão das unidades de saúde do Estado.
Pois bem, vejamos o que está por trás dos interesses dessa velha raposa muito conhecida da política maranhense. O senhor Antônio Augusto Silva Aragão possuía três contratos milionário na gestão Murad na Saúde do Estado:
CONTRATOS
Óbitos - Acreditem, o IDAC foi contratado como entidade para prestar serviços de verificação de óbitos SVO em São Luís, Imperatriz e Timon no valor de R$ 1.812.850,00 pelo prazo de 12 meses, entre fevereiro de 2014 a fevereiro de 2015.
MONÇÃO 
15.08.2013 monção
Um dos três contratos com dispensa de licitação entre IDAC de Aragão e SES na Cidade de Monção.
No Município de Monção, através de Dispensa de Licitação, Ricardo Murad contratou a entidade para prestar serviços de gestão no Hospital Geral do Município.
Só em Monção, foram três contratos. O primeiro  no valor de R$ 26.460.000,00 (vinte e seis milhões quatrocentos e sessenta mil), por doze meses, de junho de 2013 a junho de 2014.
Em seguida, o contrato sem licitação recebeu o primeiro aditivo, de R$ 16.537.500,00 (dezesseis milhões quinhentos e trinta e sete mil e quinhentos reais). A vigência foi de 17 de julho de 2014 a 31 de dezembro de 2014.
Antes de sair do comando da saúde, o ex-secretário ainda realizou o segundo aditivo de contrato com o IDAC, com período de vigência janeiro a maio de 2015, no valor R$ 15 milhões.
CARUTAPERA
carutapera 02
Extrato do quinto aditivo, no total de sete que foram realizados entre o IDAC e a SES em Carutapera
Na Cidade de Carutapera, a farra foi maior ainda. Com o objetivo de execução de ações e serviços de saúde na Unidade Mista do Município, o IDAC e a SES selaram um contrato que recebeu sete aditivos. Tudo começou em janeiro de 2009, ao valor de R$ 6 milhões pelo prazo de 12 meses.
A continuidade do contrato se deu através do primeiro aditivo, no valor de  R$ 7,5 milhões, pela vigência de janeiro a dezembro de 2010; Depois começou a farra de prorrogações, pelo valor de R$ 7,5 milhões foi prorrogado de julho de 2011 a junho de 2012.
Murad e Aragão prorrogaram novamente o contrato por mais doze meses, desta vez, no período que compreendeu julho de 2012 a junho 2013, pelo valor de mais R$ 7,5 milhões.
E novamente por mais 12 meses, julho de 2013 a junho de 2014, e agora por um valor bem maior: R$ 8,040 milhões. E para um período de apenas seis meses, a dupla fez outro aditivo, de R$ 4,3 milhões de julho a dezembro de 2014.
Por fim, Murad fez o sétimo aditivo para contemplar o aliado Aragão, até 11 de maio de 2015, pelo mesmo valor da prorrogação anterior, pouco mais de R$ 8 milhões.
IDAC
11.02.2014 obito
Até contrato para verificação de óbitos SVO em São Luís, Imperatriz e Timo era de competência do IDAC
A soma milionário, revela que o Instituto de Desenvolvimento e Apoio à Cidadania faturou mais de R$ 100 milhões ao longo de 6 anos do governo Roseana Sarney Murad.
A entidade/empresa de propriedade do dirigente partidário Aragão com estreita ligação ao grupo Sarney e a Ricardo Murad é que agora tentam interferir  na licitação das OSCIPs e manter privilégios a poucos. A entidade mesmo antes do resultado, entra com um Ação contra o concurso de OSCIPs, prova de que sabe claramente que não tem chance continuar com a ilegalidade dos anos anteriores, de quando a oligarquia ‘reinava’ nos Leões.
Postar um comentário