21 maio 2015

O que querem os partidários do prefeito “Cicin”?

O Governo do Estado, através do vice-governador Carlos Brandão e do secretário de Ciência e Tecnologia, Bira do Pindaré, estiveram nesta segunda feira na cidade de Estreito quando na oportunidade foram dados os passos iniciais para a construção do campus do Instituto de Ciência, Tecnologia e Inovação do Maranhão (Iema).   

Após conhecerem o terreno proposto pela prefeitura de Estreito a comitiva composta também pela deputada Valéria Macedo (PDT), deputado Léo Cunha (PSC), ex-prefeito de Porto Franco Deoclides Macedo, prefeito de Imperatriz Sebastião Madeira, a superintendente de Articulação Política da Chapada das Mesas, Verbena Macedo e quase uma centena de lideranças políticas de toda a região, seguiu para a Câmara Municipal onde o secretário Bira do Pindaré apresentou o projeto de implantação do Instituto no município.

Depois foi realizado um ato de assinatura da ordem de serviço para a construção do referido centro de ensino, o primeiro de 25 que o governador Flávio Dino pretende construir em várias cidades do Maranhão.
O ato na Câmara que também tratou de outras reivindicações importantes há muito esperadas pelo povo de Estreito e da região como a construção da rodovia que liga Estreito a São Pedro dos Crentes, foi uma demonstração de unidade na diversidade entre políticos que não professam as mesmas ideologias nem fazem parte do mesmo grupo, mas que ali se reuniram e deram as mãos em nome dos interesses da coletividade.

Quem bem retratou isso em seu discurso foi o próprio prefeito de Estreito Cícero Neco, o “Cicinho”, elogiando o governo e demonstrando esperança de que muito será feito pelo município de Estreito na gestão de Flávio Dino.

Até ai tudo bem, mas logo após a comitiva liderada pelo vice-governador se retirar, partidários do prefeito Cícero Neco detonaram, fazendo críticas contra o vice-governador e o secretário Bira do Pindaré, criticando a ausência justificada do governador Flávio Dino, pregando um divisionismo bobo e sem sentido entre Estreito e Porto Franco, atacando as lideranças da região que ali estiveram, como se estes que apoiaram a eleição do governador Flávio Dino e que são os legítimos signatários de todas as reivindicações nunca ouvidas pela gestão sarneysista - agora atendidas por Flávio Dino - não possam agora “colher os louros”, nem mesmo participar do novo governo.

O que houve? O discurso de Cícero Neco foi só da boca pra fora? Onde está a tão falada receptividade anunciada pelo prefeito dando as boas vindas a todos durante sua fala?

O governador Flávio Dino, o vice-governador Carlos Brandão, o secretário Bira do Pindaré e as lideranças da região que apoiaram a eleição de Flávio Dino não estão olhando para o retrovisor, afinal a eleição passou, mas não podem agora deixarem de estar presente, junto ao governo no anuncio de obras e atendimento de reivindicações que foram ao longo de anos feitas por eles.

Que os mais apaixonados do prefeito Cícero tenham calma, desarmem os ânimos, aceitem a realidade. Flávio Dino está aberto ás parcerias com todos os prefeitos, independente do partido ou do grupo político, não interessando se este votou nele ou não, mas não poderá abandonar os companheiros de luta, as lideranças que o elegeram e estão lhe ajudando a mudar o Maranhão.
Postar um comentário