14 junho 2015

O PTzinho local impõe condições, mesmo sem ter tamanho pra isso...

A novidade da politica local passa a ser as interpretações de todos os cenários possíveis aos olhos dos 'analistas plantonistas' uns meios utópicos ou poucos improváveis, porém, algumas junções estão temporariamente ou por questões ideológicas ou por conta do próprio sentido histórico, prontas para não ocorrer; É o caso de estar no mesmo palaque o PT e o PSDB.

As conversas de aproximações dos partidos que devem tentar convergir o projeto que venha na direção do governo Estadual - isso  por conta, ainda, da popularidade recente da ultima eleição - e devem conter, naturalmente, partidos que estão mais ligados a esquerda e também ao Governo Federal, neste sentido estariam o PT, PDT e o próprio PC do B, no caso do PT municipal ainda tentar impôr uma certa valorização desproporcional, uma especie de falsa potencialidade.

Mesmo seguindo a reboque do governo, o PSDB assiste ao processo acreditando que qualquer que seja o sentimento do governo o partido estará pronto para compartilhar, até indicando um vice. O partido maior e mais organizado de Imperatriz conversa com uma certa timidez sobre o processo, e depois de quase 8 anos no comando municipal já parece se contentar em ser menor, mesmo assim, ainda é pouco provável que o tucanato não seja o protagonista da próxima eleição, isso por conta da sua estrutura, organização e militância. 

E o PT, mesmo sem tamanho vem impondo suas condições em conversas com os comunistas, e mesmo pequenininho sugerem não haver possibilidade de dividir palanque com o PSDB, e o presidente tem deixado a condição petista; como se fosse o ultimo biscoito do pacote. 







Postar um comentário