29 junho 2015

Sonho realizado: 350 famílias de Coquelândia recebem título definitivo de propriedade

Daniel Souza afirma que a Política de Regularização Fundiária tem o conceito de defender os menos favorecidos

Na manhã de sábado 27 de junho de 2015, o Município de Imperatriz sediou um dos mais importantes eventos de cidadania dos últimos tempos da história do Maranhão.

Pela primeira vez, a população de uma comunidade rural, do interior do estado, estava sendo contemplada com o recebimento integral de todos os títulos definitivos de propriedade, expedidos para moradores que, desde os idos de 1958, conquistaram um pedaço de chão no Município de Imperatriz, numa região da “Estrada do Arroz, chamada Coquelândia, antigo povoado “Coco Redondo”.
O Prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira, e o Secretário Municipal de Regularização Fundiária Urbana, Dr. Daniel Pereira de Souza, foram os responsáveis pelo feito, que beneficiou 350 famílias de Coquelândia com os títulos definitivos de propriedade.

A concorrida solenidade iniciou com uma hora e meia de atraso, e contou com as presenças de secretários municipais, dos vereadores Professor Adonilson (PC do B), Terezinha Soares e Buzuca (PSDB), Chiquinho da Diferro (PR) e João Silva (PRB), líder do prefeito Madeira na Câmara; do deputado Marco Aurélio (PC do B) e do secretário de Infraestrutura do Estado, Clayton Noleto; do secretário Adjunto de Agricultura do Estado, Valdinar Barros, da representante das Mulheres Quebradeiras de Coco da Estrada do Arroz, “dona” Raimunda Silva, além do Superintendente do INCRA no Maranhão Jowberth Frank, e do representante do Programa “Terra Legal” no Maranhão, Joelsi Costa.

O ponto alto do evento aconteceu quando o secretário Daniel Souza, visivelmente emocionado, resolveu homenagear o morador mais antigo do lugar, um senhor de 92 anos de idade, conhecido como “Seu Sebastião”, que, apesar da velhice, lúcido e alegre, era um dentre as dezenas de populares de Coquelândia alcançados pela Regularização Fundiária.

Daniel Souza desceu do palco e enquanto ia ao encontro do ancião dizia: “a política de regularização fundiária implementada pelo Prefeito Madeira tem um conceito, o conceito de defender os pobres e alcançar aqueles que mais precisam, tratando os desiguais com “mais atenção”, para que os mais humildes do povo, rompam com a perversa burocracia que afasta, infelizmente ainda no Brasil, os pobres do direito de moradia e de propriedade. Seu Sebastião é prova viva disso. Teve que esperar por 92 anos para receber um direito sagrado. Tenho a honra de ter conseguido realizar esse sonho, o sonho que hoje é de todos nós de Coquelândia. Um sonho de quem acredita na vida e na luta”, abraçando, em seguida, o longínquo morador, que, simplesmente, na sua humildade, disse: “pensei, meu filho, que não ia alcançar esse dia...”
O secretário, que nos tempos idos militou com os trabalhadores Rurais Sem Terra, e no movimento sindical, lembrou que sua nomeação para o cargo e para coordenar o programa de Regularização Fundiária, o que teria acontecido ainda em 2013, pelo prefeito Madeira, tinha lhe proporcionado um reencontro com o passado de luta pela terra e pela moradia, resultado, segundo ele, da sensibilidade humana e de compromisso político de um gestor que estar acima de partidos e ideologias, que usa a máquina pública para fazer o bem.
“As vezes ouço alguns que se dizem de esquerda falar isso e aquilo do prefeito Madeira. Muitos desses nunca militaram, de fato, nunca invadiram um latifúndio, nunca apanharam da polícia, nunca fizeram uma greve, e, quando estavam no poder, não fizeram o que o prefeito Madeira faz. Esses não têm legitimidade para falar, e falam porque nós temos um prefeito sensível, que atende ao telefone, que está presente na vida da cidade, que ouve os assessores, mas ouve também as vozes das ruas. Tenho a honra de participar de um governo que me proporcionou que me encontrasse com o meu passado de luta pela terra e pela moradia. Valdinar sabe do que estou falando. Por isso, estamos resolvendo a vida de milhares de pessoas, como acontece  com a desapropriando o Santo Amaro, com a ação que da Vila Zenira, da manutenção de posse da comunidade da Vila Davi, além ajudar pessoas anônimas a conquistar sua cidadania, através de centenas de expedição de títulos definitivos”, discursou, arrematando que o povo de Imperatriz não retrocederá quando for chamado a escolher a pessoa que sucederá o prefeito Madeira.
O prefeito de Imperatriz encerrou o ato, lembrando que o programa de Regularização Fundiária era um compromisso de campanha em 2012, e que vem sendo executado com bravura e competência pelo secretário Daniel Souza, que, na sua avaliação, está totalmente mergulhado no processo, tendo conseguido realizar feitos que até então pareciam impossíveis.

Sebastião Madeira aproveitou, ainda, para realçar que sua gestão há 78 meses vem tratando do povo da cidade, na infraestrutura, na acolhida social, na agricultura, na educação e, principalmente, na Saúde, salvando vidas de gente de uma parte do Maranhão e de outras tantas de outros estados.

O prefeito lembrou que, ao procurar a presidente Dilma, do PT, o governador Flávio Dino, do PC do B, ou quando procurou a ex-governadora Roseana Sarney, do PMDB, para arranjar recursos e verbas, fizera por amor a Imperatriz e porque o dinheiro da União não é da Dilma, o Estado não era da Roseana e nem é do Flávio, mas do povo, e de todos.

Madeira disse, contextualizando sua fala, que o sonho dos moradores da Coquelândia estava sendo realizado porque o Programa Terra Legal, da presidente Dilma, havia doado a área rural para o Município de Imperatriz, como fez em todo o estado. “Contudo, apenas a Prefeitura do PSDB fez a regularização fundiária acontecer, de fato. Isso mostra que o gestor, ao ser eleito, não pode ficar refém de partidos e ideologias, mas, sim, de uma política de fazer o bem para o povo”.


Sidney Rodrigues -  ASCOM
Postar um comentário