07 setembro 2015

Lei dos Bares atrai a atenção social e leva novo impasse para a câmara resolver. Juliano Reis falou ao blog.


Horário de funcionamento de casas de shows e bares divergem as opiniões de promotores de shows e sociedade organizada.

Ao comentar a carta do Bispo local, o cantor Sertanejo Juliano Reis colocou mais lenha na fogueira sobre o debate da lei dos Bares, que deve ser votada até a próxima quarta-feira (09) pela câmara municipal de Imperatriz. 

O cantor publicou em rede social um comentário onde pede que a igreja limite-se a evangelizar e disse ainda que não disponibilizaria mais shows para os festejos quando convidado. O cantor questiona a carta aberta publicada pelo Bispo Diocesano Dom Gilberto Pastana, e diz que a lei não estenderia o horário de funcionamento de bares até às 4 da manhã, mas somente casas de show que estariam se adequando a lei municipal. 

comentário do sertanejo juliano Reis
Na carta publicada pelo Bispo Gilberto Pastana, denominada "AO POVO DE DEUS DA CIDADE DE IMPERATRIZ" (imagem abaixo), o líder da Igreja Católica pede que a população católica cobre do vereador a não aprovação da lei, e que a sociedade compareça em massa no dia da votação. O bispo justifica que a luta é pela preservação da vida e do sossego noturno. O líder da igreja relata ainda a preocupação com os jovens e a exposição às drogas lícitas e não licitas.

REPERCUSSÃO

O que acabou atiçando os ânimos e os mais diversos comentários em todas as redes sociais foi o teor do comentário do cantor Juliano Reis. Logo após a repercussão o cantor teria sido aconselhado a retirar o post, mas as redes já teriam sido tomadas pela avaliação daqueles que concordam e discordam, apesar dos interesses divergentes.

Carta do Bispo
(clique para ampliar)
Em conversa com o editor do blog, Juliano Reis disse que espera que a câmara altere a lei que limita o funcionamento das casas de shows devidamente adequadas de 02 para às 04 da manhã, e defende que bares, conveniências e restaurantes fechem às 02:00 horas. Sobre o comentário publicado na rede social, Juliano disse que "realmente foi uma expressão forte e que a intenção não foi causar tumulto, e sim, chamar atenção para a verdade, a forma abordada dentro da igreja não usando clareza, induz a pensarem que queremos o funcionamento de todo o comercio até as 04:00", esclareceu o sertanejo.

O QUE DIZ A ANTIGA E A NOVA LEI DOS BARES

A lei dos bares que está em vigor, trata todas as atividades noturnas sem distinção e limitam o horário do funcionamento dos bares, casas de shows e restaurantes, para até às 2 da manhã, apesar do não cumprimento. As manifestações favoráveis a manutenção do texto que trata sobre o horário, vem se aquecendo principalmente por causa da falta de isolamentos acústicos e adequações nas casas de shows, e acabam perturbando pelo volume do som produzido. No entanto, a saída encontrada na nova lei, e deve ser defendida pelo vereador e relator João Silva para conter o conflito, é adequação a nova realidade e necessidade da cidade, distinguindo entre casas de shows e bares, delimitando horário para cada ambiente de acordo com o tipo de atividade e adequação da estrutura física com isolamentos acústicos afim de limitar o som produzido e que seria o motivo das reclamações. 

O PAPEL SOCIAL DA CÂMARA

A bola agora está nas mãos do parlamento municipal, que deve votar a lei no próximo dia 09 de Setembro (quarta-feira). 

Os dois grupos interessados, dos artistas que defendem a distinção das atividades e a extensão do horário das casas de shows para às 4 da manhã, e do Comitê da cidadania, que defende o limite de 2 da manhã para o funcionamento de todos os ambientes, tendem a lotar as dependências (auditório) da câmara municipal.

A sessão será mais uma das mais quentes deste ano, e mais um desgaste ou sucesso que também deve promover ou desqualificar essa legislatura. 

Temas de repercussão e interesse social tem sido um dos pontos fortes dos debates travados na câmara, o que acaba pondo em meio ha um turbilhão de avaliações o comportamentos dos parlamentares.

Alguns parlamentares considerados próximos a igreja católica como o vereador Carlos Hermes e Aurélio do PT, ja tem demonstrado como deve votar.

Em meio ao incentivo social que se tornou necessário um debate e a regulação da lei por parte do legislativo. O certo é que a câmara é a instituição ideal para dirimir as divergências e ocasionar a convergência de interesses afim de trazer um resultado que satisfaça os profissionais que atuam no mercado de eventos, de bares e a sociedade que pede essa regulação e que entende que o horário não deve ser estendido.


Postar um comentário