04 outubro 2015

Obstáculo...

   
Disputa interna deve escolher entre os dois pretendentes quem deve representar o governo.
A fala do vereador Adonilson Lima, do PC do B, segundo a qual o partido continua órfão depois da saída de Clayton Noleto do processo eleitoral, no fundo revela muito mais que um simples descontentamento dos chamados “vermelhos”, mas, sobretudo, uma indesejável situação para a canditável Rosângela Curado, do PDT, líder nas pesquisas de intenção de votos na corrida pela Prefeitura de Imperatriz.
Os comunistas, com o descarte de Noleto, trabalham (não tão silenciosamente) para viabilizar o nome do deputado estadual Marco Aurélio, que além de pertencer ao partido do governador Flávio Dino, tem, nesse momento, as condições eleitorais necessárias para participar da eleição do sucessor do prefeito Sebastião Madeira.
A pretensão de Marco Aurélio, aliada a rejeição do PC do B à candidatura de Rosangela, é o principal obstáculo que o PDT terá que superar para emplacar o nome da ex-subsecretária de Saúde do Estado como candidata governista em Imperatriz.
Todo mundo sabe que o acordo político, ora firmado por Flávio Dino com a aliada do PDT, estará, daqui a poucos meses, integralmente cumprido. Primeiro, porque o governador, como prometido na campanha, nomeou Rosângela como subsecretária de Saúde do Estado, e, segundo, porque foi o governador que articulou, com o PDT, para que Curado assumisse, por quatro meses, o mandato de deputado de Weverton Rocha, a fim de viabilizar sua pré-campanha. Assim, nada poderá ser cobrado do governador.
Enquanto isso, o talentoso deputado Marco Aurélio, vem fazendo sua pré-campanha, aproximando-se do Prefeito Madeira, com quem diariamente conversa ao telefone; utilizando recursos de emendas e prometendo água para todos, com o auxilio do chefe da Caema no Maranhão.
Nesse contexto, Weverton Rocha e Rosângela Curado, sabedores dessa conjuntura, tentam, a qualquer custo, alianças políticas antecipadas, inclusive com outros partidos, para tentar fugir ao papel de coadjuvante lhe reservado na “estratégia” traçada pelo dirigente maior do PC do B, Márcio Jerry.  

Postar um comentário