04 janeiro 2016

AIRT à limpo...

Através da decisão da justiça que paralisou a eleição da AIRT (Associação de Imprensa da Região Tocantina) enfim, parece que a coisa irá, realmente, tomar um rumo democrático. À muito criticada por conta da sua paralisia e apropriação, a entidade tomou outro rumo após as recentes manifestações que unificaram o desejo da imprensa, através das redes sociais, para trazer de volta os grandes debates em prol de uma gigantesca reforma em todos os sentidos na principal entidade de representação dos interesses de todos os militantes, colaboradores etc, ou quem exerce alguma atividade na área de comunicação em Imperatriz e região. Em outros tempos a entidade ja representou significativamente a classe, mas acabou perdendo sentido e espaço antes legitimado por suas ações em prol da categoria.

A ação impetrada pelos componentes da Chapa 3, encabeçada pelos jornalistas Josué Moura e Paulo Negrão, reabre o direito democrático de reaver direitos de filiados antigos obterem seu direito de votar, como bem frisou o Timoteo (velha guarda da comunicação) "só quero ter o direito de votar".

 Em poucos momentos de debates em algumas emissoras o jornalista Josué Moura, em campanha, ouviu atento a indignação de muitos fundadores que tiveram seus nomes extraídos sem aviso prévio da lista de fundadores ou votantes. 

A ação ingressada na justiça que cancelou a eleição temporariamente tende a restabelecer direitos, obrigações e a ordem democrática de toda a imprensa imperatrizense. Já existe muito a comemorar e ao final, todos sairão ganhando.
Postar um comentário