05 janeiro 2016

Em 2015 Saúde de Imperatriz atendeu uma população quatro vezes maior que sua capacidade normal

Diariamente pacientes de diversas cidades da região recorrem a consultas, exames e cirurgias de alta complexidade na rede municipal de Imperatriz


Ao fazer uma avaliação da sua gestão no decorrer deste ano, a secretária municipal de Saúde Conceição Madeira, relatou as dificuldades de gerenciar as questões da saúde pública de Imperatriz, ressaltando que mesmo em momentos de crise foi possível obter melhorias a partir de investimentos em alguns setores.

 “Gerir uma saúde que tem o ônus de receber milhares de pessoas, mas que não tem o bônus do recurso completo para resolver os problemas, é muito complexo. Contudo, em 2015 ainda conseguimos implementar algumas melhorias como contratação de especialidades médicas, capacitações e aquisições de novas aparelhagens”, exemplifica Conceição Madeira ao falar dos custos que o Município tem para manter o funcionamento do Hospital Municipal de Imperatriz e a Atenção Básica da rede municipal de saúde em Imperatriz.

Para a secretária, “Gerenciar a Saúde Pública no Brasil não é uma tarefa fácil. Em tempo de crises a situação torna-se mais complicada”. E o fato de Imperatriz ser um polo torna a gestão da Saúde ainda mais complexa. Pessoas de diversas cidades da região recorrem aos serviços oferecidos aqui – consultas médicas, exames e cirurgias de alta complexidade.

De acordo com informações da secretária, Imperatriz conta hoje com um leque de especialistas na Rede Pública de Saúde que atende praticamente todas as áreas – um atrativo para os cidadãos que moram no aqui no entorno e não dispõe de especialidades em seus municípios. “Isso faz com que muitas vezes percebamos a existências de filas de espera para consultas e cirurgias realizadas pela Secretaria Municipal de Saúde de Imperatriz e que favorece cidadãos de outras cidades dos Estados do Para, Tocantins e Maranhão”, disse.

Prioridade - No entanto, segundo Conceição Madeira, mesmo com a redução dos recursos, os serviços da área da Saúde foram sempre priorizados pelo prefeito Sebastião. “Em 2015 mesmo com as dificuldades e a ‘escassez das verbas’ avanços puderam ser notados, bem como Reformas e Ampliações de Unidades Básicas de Saúde da Zona Urbana e Rural, Aquisição de novos aparelhos, novas ambulâncias e ainda as campanhas de Prevenção e Promoção a saúde”, afirma a secretária.

De acordo com as estatísticas da Secretaria Municipal de Saúde (SEMUS), Imperatriz teve um salto significativo e marcante no processo de mudanças propostos pela atual gestão. “A saúde pública de Imperatriz continuou este ano buscando ampliar seus serviços e melhorar os já implantados. Para isso, fizemos mudanças nas coordenações e readequamos espaços em diversos setores da saúde – o que implicou em melhorias nas condições informa Conceição Madeira.

Novos equipamentos de alta resolução - No Hospital Municipal Municipal Socorrão, - foram instalados dois novos arcos cirúrgicos (equipamentos que possibilitam produção de imagens digitais simultâneas que agilizam o serviço do Médico Cirurgião) para realização das cirurgias neurológicas, ortopédicas, urológicas e vasculares. Em média eram realizadas 700 cirurgias por mês, entre eletivas e de urgência.

Com a instalação dos aparelhos esse número aumentou em 30%. Vale ressaltar que o Socorrão atende em média uma população de um milhão de habitantes; e realizou em 2015 uma média mensal de 15 mil atendimentos, incluindo consultas, cirurgias, internações e atendimentos ambulatoriais, chegando lotar muitas vezes seus 400 leitos.

Residência médica - Em 2015 além de todas as conquistas destinadas ao HMI, ele foi contemplado ainda com um novo espaço para acomodação dos médicos residentes - um ambiente que com sala de recepção com espaço para treinamentos e discussões, sala de prescrição e uma de repouso. Instituída em março de 2014, o programa de residência do Socorrão oferece quatro vagas anualmente por meio de processo seletivo; e tem duração de dois anos em regime de tempo integral, com estágios em forma de rodízio nas diversas especialidades do serviço de Clínica Médica e de Cirurgia Geral.

Novas Unidades Básicas de Saúde - Na Atenção Básica, de acordo com a secretária os destaques são as Reformas e Ampliações das Unidades Básicas de Saúde da Vila Nova, Nova Imperatriz, Pq Alvorada, Ouro Verde, Santa Rita e Coquelândia. “Além disso, estão sendo construídas três novas UBS´s no Parque do Buriti, Bom Sucesso e Conjunto Nova Vitória”, ressalta.
Com a construção de mais três UBS o município contará com 45 Unidades Básicas de Saúde. “Com a melhoria e ampliação dos ambientes das UBS´s já existentes nós proporcionamos um acolhimento de melhor qualidade e atendemos os usuários de forma mais digna”, afirma a secretária ao explicar que o objetivo das obras é melhorar a assistência médica, farmacêutica e de enfermagem prestada na Atenção Básica – que recebeu novos profissionais médicos em 2015.

Novos Médicos Contratados - Os servidores foram integrados ao quadro da SEMUS tanto por meio do PROVAB - Programa de Valorização do Profissional da Atenção Básica, quanto por meio de concurso, pois foram empossados diversos médicos no decorrer do ano oriundos do último concurso realizado pela Prefeitura Municipal de Imperatriz. Vale ressaltar ainda que logo no início de 2016, ainda no mês de janeiro, haverá novas contratações por meio de seletivo para contratação temporária de médicos para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU).

“A ampliação do quadro de médicos é essencial para o atendimento das demandas, visto que isso possibilita uma maior cobertura dos serviços, melhorando a qualidade do atendimento na Atenção Primária, onde mais de 80% dos problemas de saúde podem ser resolvidos”, observa a secretária ao falar da ampliação do quadro médico da secretaria.

Programas - Na atenção Básica destaca-se ainda em 2015 o funcionamento de Programas como o SAD – Serviço de Atendimento Domiciliar. Imperatriz foi o primeiro município do Estado a implantar o Programa que funciona desde 2013 e atende atualmente cerca de 60 pacientes. Mantido pela Prefeitura, o SAD atende pessoas adoecidas que necessitam de cuidados médicos em casa. Ao falar em programas, segundo a secretária não poderia deixar de citar também a atuação do Programa Municipal de Imunização que cumpre rigorosamente todas as metas propostas pelo Ministério da Saúde, realizando coberturas vacinais sempre acima de 85%.

Tratamento oncológico - Em 2015 Cerca 23.500 (vinte e três mil e quinhentos) atendimentos entre consultas, exames e pequenas cirurgias foram realizados só na Unidade Móvel; sendo que até julho, 432 casos de câncer foram diagnosticados e tratados na Unidade. “Além disso, outro grande destaque na oncologia foi o funcionamento da Radioterapia em Imperatriz. Em parceria com o Governo do Estado os atendimentos beneficiam os usuários que antes necessitavam sair da cidade para buscar o tratamento em outros municípios”, destaca a gestora.

Construção Centro de Diagnóstico por imagem – Foi iniciada em 2015 a construção do 1º Centro de Diagnóstico por Imagem do Município. O núcleo funcionará no mesmo terreno do Centro de Especialidades Médicas Três Poderes – Prédio próprio da Prefeitura Municipal de Imperatriz. No Centro, além dos aparelhos que compõe a estrutura do núcleo, funcionará também um aparelho de ressonância magnética. A instalação dessa nova aparelhagem ampliará o acesso dos Usuários do Sistema Único de Saúde aos exames de diagnóstico por imagem, realizados na rede pública; e diminuirá demanda de ultrassons e ressonâncias que eram realizadas em clínicas convidadas.

NUMEROS

Público atendido pelo HMI – Segundo dados do Departamento DASIS, dos pacientes atendidos no Hospital Municipal de Imperatriz 46% são moradores de outros municípios que gastam 54% do valor total da receita destinada a saúde de Imperatriz. 15% são do Estado do Tocantins e 17% do Pará e 14% são de outras cidades do Maranhão; sendo que das 217 cidades do MA atendemos até 147 municípios esporadicamente e 94 municípios com freqüência.   De acordo com o plano de pactuação vigente, Imperatriz deveria atender apenas 44 municípios do Estado do Maranhão, além de Imperatriz.

Gastos com a saúde - De janeiro a agosto foram gastos 280.989,00 em ações de Promoção e prevenção em saúde; 7.131.355,54 em procedimentos com finalidade diagnóstica; 16.504.507,53 em procedimentos clínicos; 821.911,85 com Órteses, próteses e materiais especiais; 660.471,90 com ações complementares da atenção à saúde; 5.105.427,74 em procedimentos clínicos e 6.674.234,90 em procedimentos cirúrgicos.

No comparativo de receitas e despesas Imperatriz teve um déficit de 2 milhões de reais, isso porque o Prefeito cumpre a Lei dos 15%, contribuindo com uma quantia bem maior que o exigido, para cobrir os gastos que são necessários para gerir o serviço público de saúde em Imperatriz, devido à alta demanda que atende diariamente de Imperatriz e dos municípios vizinhos. “E isso acontece em função do compromisso do Prefeito Sebastião Madeira com o povo”, afirma a secretária Conceição Madeira ao falar do quantitativo arrecadado e dos valores gastos com as despesas

De acordo com os relatórios, no total, foram gastos R$ 124.270.697,04 na saúde pública de Imperatriz no quadrimestre (de janeiro a agosto). 

[Maria Almeida – ASCOM]
Postar um comentário