06 janeiro 2016

Incertezas ainda pairam sobre candidaturas a prefeito de Imperatriz

Vista aérea da cidade de Imperatriz - foto brawny meireles

Em uma breve analise ainda se percebe o quanto de dúvidas ainda pairam sobre quem deve ser, em definitivo, os candidatos a prefeito da segunda maior cidade do Maranhão. 

A menos de dez meses das eleições municipais, ainda é difícil saber quem serão os candidatos a prefeito na segunda cidade do Estado do Maranhão. Pelo menos alguns nomes vem se destacando e surgem como opção em algumas consultas públicas, outros, mais pacientes, ainda aguardam os prazos legais para trabalhar as ações midiáticas em prol de alavancar o nome ao ponto de competitividade eleitoral. 

Os candidatos mais citados são a suplente de Deputada Rosângela Curado (PDT), Ildon Marques (PMN), Deputado Estadual professor Marco Aurélio (PC do B), Delegado Assis (PMDB), vereador Esmerahdson (PSDB) e o secretário Daniel Sousa, também do PSDB. Outros nomes ainda se apresentam como pré-candidatos, mas ainda sem pontuar. 

Dentre os pré-candidatos muitas indefinições por conta de questões legais e outros por questões politicas. O ex-prefeito Ildon Marques aguarda o momento de se apresentar em definitivo, mas aguardará a pertubação juridica de pedidos de impedimentos baseados em suas condenações que devem ou não serem acatadas, tornando assim, uma icognita se irá ou não vingar seu projeto.

A suplente de Deputada Federal, Rosângela Curado depende de acordos entre seu partido e governo, visto que na capital São Luis, o principal candidato e atual prefeito filiou-se recentemente e concorrerá a eleição tambem pelo PDT. Políticos admitem que existe a possibilidade de que negociações interfiram no processo em Imperatriz, principalmente pela forma agressiva do líder do partido, o Deputado Federal Weverton Rocha. Apesar de tudo ainda não passar de especulações, o líder pedetista chegou a enviar um recado ao governo em seu discurso na festa ocorrida em Imperatriz no mês de Dezembro. Talvez por conta dessa queda de braço, a pré-candidata vem trabalhando forte para pontuar nas pesquisas de forma que os resultados pesem na balança da escolha de quem será o candidato apoiado pelo palácio.

Deputado Estadual bem avaliado, coordenando comissões importantes na Assembléia em prol do governo, o professor Marco Aurélio acabou se destacando também por monitorar o comportamento do eleitorado através de pesquisas de forma permanente. Apesar de não anunciar sua candidatura, trabalha junto ao governo para ter seu nome chancelado, desbancando as intenções do PDT (que não se sabe ainda se irá para a eleição sem apoio do governo). Pesa de forma favorável sobre ele a confiança do governo, estar no mesmo partido do governador, ter o apoio de Marcio Jerry (homem mais forte do governo e articulador politico) e ainda ter toda as secretarias do Estado trabalhando em prol do seu nome em Imperatriz. Mas pesa, contra o parlamentar, ter sido eleito por dois mandatos consecutivos e não ter terminado nenhum. 

Com um dos partidos mais forte do Brasil, o Delegado Assis Ramos, no PMDB, vem tentando viabilizar seu nome com reuniões e visitas em todos os bairros da cidade, quase uma pré-campanha de vereador, mas que vem surtindo efeitos positivos e pontuações nas pesquisas. Ligado a área de segurança, Assis foi delegado regional em Imperatriz, onde atual contra o crime de forma concisa, ao mesmo tempo que conquistou amigos e inimigos, por ele, justificado como resultado de ações em prol do interesse social e da justiça. Apesar da pouca experiencia politica, Assis tem tido todo o apoio do partido e grandes caciques do Estado, principalmente pelo partido não dispor de grandes nomes para concorrer uma eleição majoritária. 

A mais intensa duvida ainda recai sobre a candidatura do governo municipal, tido como um dos mais fortes e centrados da história de Imperatriz, mesmo no final do governo, o atual prefeito, eleito e reeleito para o segundo mandato, ainda dispõe de grande força para enfrentar o processo eleitoral com chances de eleger um sucessor. Mas o grande questionamento é saber se Madeira teria interesse em eleger um sucessor, se ele colocaria um candidato mesmo tendo que enfrentar um candidato do governo que o tem (teoricamente) como aliado, se Madeira estaria disposto a investir num candidato comandado por Marcio Jerry (desafeto histórico) ou se Madeira usaria (ou ousaria) colocar um candidato e separar as duas eleições, impondo, de certa forma, sua condição de eleger ou não um sucessor sem a interferência  ou apoio do governo, para que uma dessas opções ocorra, o prefeito de Imperatriz dispõe no seu partido dos pré-candidatos Daniel Sousa, atualmente ocupando a secretaria de regularização fundiária, considerada a mais importante do governo, principalmente pela forma determinada, ousada e prática que Daniel dispõe. Uma secretaria forte politicamente e com grande atuação social, o torna um forte candidato a sucessão do prefeito Madeira. Por outro lado também luta no mesmo partido para apresentar-se bem nas pesquisas, o vereador Esmerahdson de Pinho. Apesar de pontuar, o parlamentar teve contra a sua indicação várias indisposições com o prefeito durante o mandato, chegando até a votar em algumas oportunidades contra a indicação do executivo. Positivamente pesam os números das pesquisas e seus conhecimentos teóricos e técnicos como professor.

Em meio a tantas duvidas, os principais precursores do celeuma é, ao certo, a indefinição do prefeito tucano Sebastião Madeira e do governador comunista Flávio Dino, que ainda observam muito e comentam muito pouco sobre o futuro politico ou o candidato que deve unir ou separar as duas bandeiras que representam o Estado.




Postar um comentário