21 julho 2016

Governo investe em educação de qualidade e profissionalização para fortalecer juventude

Garantir educação de qualidade, ampliar as oportunidades e assegurar a autonomia da população jovem do Maranhão tem sido uma preocupação do Governo do Estado desde o primeiro dia desta atual gestão. Para beneficiar a juventude, que representa 30% da população maranhense, segundo dados do IBGE, o governador Flavio Dino implementou diversos programas para assegurar formação e ensino de qualidade. Como resultado, o estado terá uma nova geração, de profissionais qualificados, com emprego, renda e conhecimento para melhorar as suas vidas e o Maranhão.
Para o governador, só assim serão possíveis dias melhores e com mais igualdade social. “A juventude é o presente e, sobretudo, o futuro. Nós estamos investindo em educação e na juventude para alcançar melhores condições, para que crianças, adolescentes, jovens e adultos possam vislumbrar caminhos melhores no amanhã”, defende Flávio Dino 
As reformas sistemáticas de escolas públicas, os programas CNH Jovem, que concede carteira de habilitação gratuita, e o Pré-Universitário (PreUNI) - curso preparatório gratuito a jovens e adultos, focado no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), então no rol de ações implementadas pela gestão para melhorar a vida de jovens maranhenses. Como estes, outros programas foram lançados pelo Governo do Estado para fortalecer o campo da Educação, da Educação Profissional e da oportunidade de emprego, que evidenciam a preocupação da gestão em solucionar a vulnerabilidade social por meio da educação e de mais oportunidades. 
Um dos principais desafios, nesta missão, tem sido incrementar a educação do Maranhão no patamar de qualidade. O que, segundo o secretário de Estado de Educação, Felipe Camarão, tem sido conseguido. “Há muito desafios, mas o governo está empenhado em dotar as escolas de condições dignas para ofertar uma educação de qualidade, com professor em sala de aula, estrutura adequada e gestão democrática e participativa”, destacou.
Escola digna
Mudar a qualidade da educação perpassa, necessariamente, na garantia de escolas estruturalmente boas. As salas de aulas amplas, com carteiras e quadros novos, banheiros novos e acesso a computadores e materiais escolares propiciam um melhor dia a dia de alunos e professores. No entanto, no Maranhão, colégios feitos de taipa, com cobertura de palha e salas improvisadas, são mais comuns do que se imaginam. É por isso que o Governo do Estado está investindo mais de R$ 15 milhões na construção de 50 escolas de ensino fundamental do ‘Programa Escola Digna’.
A primeira Escola Digna foi entregue pelo governador Flávio Dino no dia 15 de julho. No povoado de Muriçoca, a 40 km do município de Fortaleza dos Nogueiras, o Centro de Ensino Pedro Álvares Cabral atendia 42 crianças que se abarrotavam em uma única pequena sala de aula. Lais Araujo tem 12 anos e é aluna da escola. “Antes, estudar aqui era muito ruim, muito dificultosos, agora com essa nova escola, vai ser muito melhor. Antes aqui não tinha geladeira, não tinha banheiro, agora estão melhorando muitas coisas”, relatou, animada, a adolescente.
As obras do Programa são financiadas com recursos do Governo do Estado, com empréstimos junto ao Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e por emendas parlamentares. Uma parte do programa será realizado com recursos de parceria com a iniciativa privada. Empresas como a Agroserra, Cemar, Mateus, Mazan, Parnaíba Gás Natural e Suzano vão adotar, ao todo, 13 novas escolas a serem construídas.

No total, serão construídas 300 novas escolas em todas as regiões do Maranhão a partir do Programa Escola Digna. Este ano serão 150 e em 2017 mais 150. O Governo também está reconstruído 63 escolas com recomposição do telhado, parte elétrica, instalação de ar condicionado, forro, piso, revestimento nas paredes, construção de novos banheiros, reforma de auditórios e refeitórios.
CNH Jovem
Coordenador pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MA), o Programa possibilitou, no ano passado, que 2 mil jovens de até 21 anos que fizeram todo o Ensino Médio em escolas públicas tivessem acesso à Carteira Nacional de Habilitação (CNH) nas categorias A, B ou AB. O programa arca com todos os custos, desde os cursos teóricos até a emissão da CNH.
Em 2016 terá a ampliação de 50% das vagas oferecidas, atingindo muito mais jovens, como o estudante Willian Robson, 19 anos, de Imperatriz, primeiro a receber a CNH através da primeira etapa do programa. Ao agradecer a iniciativa, ele defendeu que com carteira de motorista em mãos é possível buscar um novo posicionamento no mercado de trabalho, uma vez que o Registro Nacional de Carteira de Habilitação é pré-requisito em diversas seleções de emprego. “Agradecemos ao Governo do Maranhão por lembrar dos jovens e desenvolver iniciativas que nos contemplam”, disse Willian Robson.
Aulões do Enen
O sonho de ingressar no ensino superior por meio do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ficou mais próximo da realidade para milhares de jovens maranhenses. Os ‘Aulões do Enem’ são megarrevisões gratuitas voltadas para os alunos que estão terminando ou já concluíram o Ensino Médio e pretendem ingressar em uma universidade. Tem sido realizado, desde o ano passado, na capital e em diversas cidades do interior do estado.
Coordenado pela Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), o Aulão do Enem iniciou, este ano, em julho e segue até outubro em cerca de 60 municípios, beneficiando estudantes de todas as regiões do estado. As megarrevisões fazem parte do Programa Pré-Universitário (PreUNI) e têm dentre seus objetivos democratizar o acesso ao Ensino Superior, atendendo estudantes como Dadyjane Pinheiro, que participou do Aulão em Bacabal, no último fim de semana: “No momento, meus recursos são poucos para pagar um cursinho preparatório, essa oportunidade que o Governo do Estado está nos proporcionando é maravilhosa, farei de tudo para realizar uma boa prova e ter minha aprovação”.
Cidadão do Mundo
Agora, a realização do sonho de estudar uma língua estrangeira no exterior não é mais privilégio somente de famílias que têm condições de manter uma vida lá fora. O programa ‘Cidadão do Mundo’, iniciativa pioneira e inédita do Governo do Estado, através da Secti, tem o objetivo de capacitar alunos de 18 a 24 anos para que eles possam alcançar domínio funcional das línguas inglesa, francesa e espanhola em um país que tem um desses idiomas como língua oficial e usual. Isto, custeado pelo poder público.
A estudante de Psicologia da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Yasmin Barros, está a caminho de Toronto, no Canadá. “É uma ótima oportunidade. Talvez não conseguisse em momento algum da minha vida por conta da condição financeira da minha família. Eu espero aproveitar bastante o momento que vou vivenciar graças ao Governo do Maranhão. É um sonho que está se tornando realidade”, relatou, ansiosa, Yasmin.
Na primeira etapa do programa ‘Cidadão do Mundo’ foram beneficiados 23 alunos. Até embarcar para o exterior, eles participaram do curso de Imersão em Línguas e de atividades como reuniões de pré-embarque. Deste grupo, 17 seguiram para Buenos Aires, na Argentina, e seis para Montpellier, na França.
Para 2017, estão sendo ofertadas 70 vagas, sendo dez para francês, 30 para inglês e 30 para espanhol. Serão selecionados 120 candidatos para concorrer às vagas de inglês, 120 candidatos para concorrer às de espanhol e 60 candidatos para concorrer às dez vagas de francês. As inscrições seguem abertas no sitewww.secti.ma.gov.br/cidadaodomundo.

Postar um comentário