07 novembro 2016

A câmara não tá, com saudade do Hamiltão...



Além do debate dos vereadores que desejam concorrer a eleição da câmara, outro debate é travado com o mesmo objetivo, porém, é o debate dos que acreditam influenciar a decisão dos demais parlamentares.

Com o advento da comunicação virtual, é preciso aceitar, principalmente por alguns poucos, que durante muito tempo foram os únicos que palpitavam e contendiam somente com a banca do Chico, que nos dias atuais, todo mundo é formador de opinião. Isso, porém, não quer dizer que o fulano pode influenciar em alguma coisa, mas de qualquer forma, o debate é salutar, e desqualificar as opiniões como se um pudesse e outro não, é uma alternativa extremamente descortês, principalmente para jornalistas, defensores naturais da liberdade de expressão.

Voltando ao debate que realmente nos interessa, e entrando exatamente no que também é da minha conta, o ultimo biênio na câmara de vereadores foram um dos mais democráticos dos últimos 8 anos. O atual presidente, José Carlos (O pé de pato) conseguiu democratizar em todos os sentidos aquela casa, porém, isso não quer dizer que ele seria o único que preservaria tal feito. 

Em sentido contrário, o ex-presidente Hamilton Miranda (PP), que pode esnobar-se de 3 eleições (cada uma por um partido) e ter sido durante seu pleito à frente da casa ‘mirim’ de leis, o mais impopular dentre os presidentes daquele parlamento. Hamiltão sempre se colocou acima dos demais parlamentares de tal forma, que foram contadas as vezes que sentou à mesa comum durante os últimos 2 anos em que não foi presidente.

Se voltar a presidência da casa, o que também é bem provável que ocorra por vários motivos, Hamilton Miranda será o parlamentar que mais comandou a câmara, provando ainda, que, as eleições e a política, em quase nada tem trazido renovações, entretanto, é preciso não desgastar os ânimos, pois, quando o poder do palácio entrar em cena, todo poder contrario se dissipa. 



Postar um comentário