.

.

05 dezembro 2016

Emenda pode colocar reeleição de Flávio Dino nas mãos do PSDB.


Flávio Dino em 2014 literalmente cercado de todas as gerações de tucanos do Maranhão.
A PEC113A/2015m (PEC da reeleição) que conclui a mini-eleitoral iniciada no ano passado, pode trazer muitas mudanças no cenário eleitoral para governador, entre elas está as novas diretrizes para a reeleição a que dá fim às coligações nas eleições proporcionais (vereadores e deputados) e cria uma cláusula de barreira para a atuação dos partidos políticos, através da PEC 36/2016, que anda em conjunto, de autoria dos senadores do PSDB Aécio Neves (MG) e Ricardo Ferraço (ES).

O impasse quanto ao Maranhão, está na emenda apresentada pelo Senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO) que obrigaria todos os governadores e o presidente da República, que desejam concorrer as reeleições em 2018, deverão renunciar ao cargo pelo menos 6 meses antes da eleição.

Se a proposta for aprovada nesta terça-feira (06) e seguir para o Senado sem alteração, as questões eleitorais podem ficar ainda mais complexas no Maranhão.

O vice-governador do Estado, que é do PSDB, tenta sobrevida para permanecer na presidência do partido, porém, a aproximação com o governo do PC do B, opositor ao governo Temer e as propostas do próprio PSDB nacional, Carlos Brandão teria condições de coordenar uma reeleição do governador ou simplesmente, apoiar a conjuntura mais próxima do tucanato de Brasília.

Madeira, ainda prefeito de Imperatriz, sonda, ainda, assumir o PSDB Estadual, porém, se as votações continuarem como o previsto no Congresso, Carlos Brandão estará entre permanecer como presidente do PSDB e cada vez mais forte, ou assumir de vez a aproximação com o governo comunista e filiar-se num partido de esquerda.


Agora é aguardar as votações da Câmara e Senado.
Postar um comentário