30 janeiro 2017

Conceição Amorim conclama sociedade e justiça contra 'onda de estupros' em Imperatriz

Conceição Amorim diz haver 'onda
de estupros' em Imperatriz
Estupro da jovem pode ter sido prática sistemática em festas promovida pelo acusado.

A ativista de Direitos Humanos, Assistente Social, especialista em políticas públicas de gênero e raça e presidente do Centro de Defesa dos Direitos Humanos Padre Josimo, Conceição Amorim, falou a nossa reportagem na manhã de hoje (30) sobre o caso do estupro que assustou a cidade após a prisão de um jovem de classe média e a coragem da denunciante. 

Conceição relatou a preocupação com os atos que tem envolvido a juventude não somente em Imperatriz, mas no Brasil e no Mundo e pediu apoio da sociedade e da justiça para conter o que ela chamou de "onda de estupros" ocorridos em nossa cidade. 

Segundo ela, existe um empenho movido pelo sentimento de tristeza e preocupação para não deixar que os casos de violência sexual contra meninas e jovens adolescentes passem em branco. Conceição Amorim se diz assustada pelos números de casos no país; “Não é diferente em nossa cidade, Infelizmente os casos ficam silenciados por vergonha ou por culpa das próprias vitimas que não deveriam se sentir culpadas e esses casos vão virando uma incógnita pra sociedade. ”, relata.

Em sua fala, Conceição Amorim disse haver certa negligencia nas investigações e no judiciário quando se trata de punir crimes de estupro e defende o envolvimento da sociedade para que a justiça não seja omissa nesses casos. “Nos queremos que esse caso junto com outros casos que envolvem abuso contra crianças, jovens e mulheres da nossa cidade fosse levado a sério pela delegacia, pelo judiciário e assim por diante, mas principalmente pela sociedade”. Conceição destaca que esse caso pode ser um em uma série, mas só será investigado porque a vitima teve coragem de denunciar.

“A culpa do estupro é do estuprador, unicamente do estuprador, independente de que condição e local que a mulher se encontra, em momento nenhum ela é culpada de sofrer a violência do estupro dentro da nossa sociedade” Por isso as mulheres precisam se juntar e denunciar, as famílias precisam denunciar e apoiar, conclamou a ativista.


O CRIME_

As festas promovidas pelo acusado podem ter sido utilizadas para servir de tocaia para a pratica de estupro de meninas escolhidas pelo acusado.
ACUSADO


Na manhã de ontem (29) a Delegacia Regional de Segurança de Imperatriz recebeu a denuncia da vitima de estupro ocorrido na noite de sábado para domingo e uma festa organizada por Agnaldo Junior (foto) acusado de ser o autor do crime.


A vitima foi encaminhada para realizar exames de corpo delito no IML e foi constatado as lesões pelo corpo além da consumação do estupro.

Coordenada pelo Delegado Gustavo Tavares, um equipe de Policiais Civis montou campana até prender o acusado, Agnaldo Junior, quando chegava em sua residência. 


O acusado foi encaminhado para a Delegacia. Hoje pela manhã foi realizado o exame de corpo delito no IML e conduzido para unidade prisional conhecida popularmente por CCPJ.

A policia deve aprofundar as investigações sobre o caso visto que existe denuncias que a pratica seria sistemática e ocorria dentro do banheiro de festas promovidas pelo acusado, além disso, outras vitimas ainda podem surgir após a denuncia e exposição do acusado.
Postar um comentário