30 março 2017

Deputada Valéria Macedo solicita Hospital Geral para a PM em SL e um Centro Avançado de Saúde em ITZ


Na sessão da última quarta-feira (29), a deputada Valéria Macedo (PDT) usou a tribuna da assembleia para tratar de duas proposições que fez nos últimos dias na Casa.  Em síntese, a parlamentar solicita ao Governador Flávio Dino, o secretário de Estado de Saúde, Carlos Lula, o secretário de Estado de Infraestrutura, Clayton Noleto, e o secretário de Estado de Segurança Jefferson Portela envidem esforços para construir e equipar com recursos humanos e materiais um Hospital Geral para a Polícia Militar em São Luís e, ainda, um Centro Integrado de Assistência Médica e Social em Imperatriz.

A deputada entende que as duas obras e os serviços de saúde são necessários para a polícia porque o exercício da atividade dos policiais é de alto risco e que o fazem em defesa da sociedade.

A proposta é levar o serviço de saúde para todos os militares ativos, inativos e dependentes. “A atividade policial nós sabemos que é de altíssimo risco para eles próprios que trabalham no fronte da segurança pública. O Hospital Geral para a Polícia Militar será destinado ao atendimento médico, psicológico, psiquiátrico, odontológico dos policiais militares visando assegurar a integridade plena da saúde física e psicológica dos policiais e demais servidores”, destacou.
A ideia é ofertar serviços de urgência e emergência, UTI, além de outros tipos de atendimentos médicos com várias especialidades com o serviço ambulatorial, laboratório de análises clínicas, fisioterapia, centro cirúrgico básico, serviço de enfermagem. A deputada relatou a precariedade na saúde pública e a necessidade de um serviço para o policial, diante do trabalho que exerce.

“Um policial que está em combate vai entrar em uma fila comum da regulação, como é que pode se a vida dele, cotidianamente, é estar no combate, é estar em risco? Se ele sofre um tiro ou uma facada durante seu trabalho, hoje ele terá que entrar na fila de espera da UTI do estado, como todos nós civis. É claro que todos nós temos o mesmo direito constitucional, mas como disse o risco de lesão física dos policiais é maior, então ele deveria ter um local específico, uma UTI acessível para ele ser atendido com mais rapidez, dadas as especificidades de sua carreira”, reiterou.

A deputada ressaltou que o hospital é necessário por conta do risco e quadro de efetivos da Polícia no Maranhão já exige, pois, o projeto visa atender todos os membros da corporação militar ativos, inativos e os seus dependentes, estimados aqui no Maranhão numa população média de 20 mil pessoas, segundo cálculos da própria corporação. Somente policiais na ativa já chegam cerca de 10 mil profissionais. O hospital é realidade em outros estados como Pará, Piauí, Ceará, São Paulo e outros.

Reunião no Comando Geral da PM

A deputada Valéria Macedo contou sobre a reunião que teve com o Comandante Geral da Polícia Militar, Frederico Pereira, o diretor de saúde da Polícia Miliar o coronel Alberto Nasser, tenente coronel doutor Odilon Mariz e a tenente coronel doutora Solange Frazão. Segundo a parlamentar, o principal objetivo deste encontro foi a ampliação da rede de saúde da polícia com a construção do hospital. “Visitei a estrutura aqui em São Luís e me pareceu aquém do que a categoria necessita e merece. Penso que é indispensável que o estado invista mais recursos neste setor”, disse. 

Atualmente existe o Centro Integrado de Assistência Médica e Social da Polícia Militar, que dispõe de alguns serviços com o consultório odontológico, médico, psiquiátrico e psicológico. Mas é necessário a ampliação dessa estrutura na saúde.

O Comandante Geral da PM, Frederico Pereira afirmou que já existiu esse hospital destinado para a Polícia Militar, mas que foi extinto. “A preocupação nossa através da diretoria de saúde da Polícia Militar é que ampliemos o quadro de saúde da polícia, para que o policial e seus familiares possam ser melhores assistidos. Hoje temos um núcleo de saúde da polícia, mas que necessita de uma ampliação. A deputada Valéria que é da área da Saúde, em contato com Nasser está encabeçando uma campanha para retornarmos com o hospital da Polícia. Ela vai defender essa bandeira nos auxiliando para retornar com esse serviço”, ressaltou Frederico Pereira.

Na reunião, também foi abordado sobre o concurso que está sendo elaborado para o quadro de oficiais de Saúde da Polícia Militar no Maranhão, com demandas para 32 vagas para médicos, 24 dentistas, 11 psicólogos e 10 veterinários, concurso este que a deputada vem defendendo desde 2011, quando chegou pela primeira vez na Assembleia, a parlamentar pede inclusive, que seja acrescentado vagas para enfermeiros no planejamento.

“O concurso em andamento para o serviço militar é uma iniciativa muito importante do Governador Flávio Dino e do Secretário Jeferson Portela, nós temos defendido isso a cada nova ação na assembleia, e inclusive defendo um concurso amplo na área da saúde” disse.

Outra viabilidade para a existência do hospital, é um terreno disponível para a construção do prédio hospitalar, o qual já existe no próprio Comando Geral da Polícia Militar no retorno do Calhau.  

O diretor de saúde da Polícia Militar, coronel Alberto Nasser falou da receptividade da deputada com a construção deste hospital. “A deputada Valéria Macedo está mostrando extremamente receptiva, amadurecemos esta ideia ao conhecimento político. Ela acolheu este projeto. É um embrião que nasce e queremos levar para frente, porque é importante para a saúde da nossa corporação e este apoio é fundamental”, relatou.

A outra indicação proposta foi a construção de um Centro Integrado de Assistência Médica da Região Tocantina, a ser construído no 3.º Batalhão da Polícia Militar em Imperatriz para atender os policiais militares ativos, inativos e dependentes das regiões Tocantina, Sul e Centro do Maranhão.

“Imperatriz é a principal cidade da Região Tocantina e tem todas as condições de receber um Centro Integrado para atender os policiais militares das regiões Tocantina, Centro e sul do estado. Até a média complexidade acho que pode fazer no Centro em Imperatriz, sendo que os procedimentos de alta complexidade ficariam para o Hospital Geral em Imperatriz”.

ascom/Dep. Valeria Macedo
Postar um comentário