08 abril 2017

Certamente, Assis segue confiante.

Para quem acredita e divulga a possibilidade do prefeito de Imperatriz, Assis Ramos, estar totalmente perdido com relação algumas ações do executivo, como; a investigação solicitada sobre uma provável terceirização pela empresa contratada, dos serviços tapa buracos realizados na cidade, e, ou, por ter decidido suspender todos as convocações do seletivo da SEDES por constatar prováveis irregularidades, com certeza não conhece o prefeito de Imperatriz.

Na política tradicional, voltar atrás sobre decisões tomadas ou suspender ações de aliados por considerar necessário, é quase uma ofensa ou demonstração de fraqueza. Para os novos modelos de políticos, centrados em questões administrativas e resultados, voltar atrás é sinal de grandeza, economia e até responsabilidade - como no caso do seletivo da SEDES.

Assis segue um modelo nunca visto na cidade e recebe diariamente todos que procuram o prefeito "na prefeitura", dando expediente e atendendo com a simplicidade que o conduziu a eleição vitoriosa no ano passado.

Talvez por isso Assis esteja incomodando tanto. Não é um desconhecimento e nem contentamento com a vagareza da operação tapa-buraco, considerada acertadamente por um jornalista, 'como operação tartaruga', mas um reconhecimento que a maioria das autarquias do executivo caminham independente e realizando um verdadeiro concerto na gestão municipal, e esses novos modelos de políticos-gestores ou gestores-políticos, incomodam pois tem grande chances de acertar sem lesar o erário.

A última parte, é a que os políticos tradicionais menos se importam. - Que venham os novos!

Postar um comentário