12 abril 2017

Zé Reinaldo tenta fugir dos encostos de Weverton e Maranhão, após tem nome citado em delação.


A tão aguardada divulgação da "delação do fim do mundo" veio como uma bomba em vários setores políticos, tanto do palácio do planalto - com a citação de ministros -  como em vários Estados da Federação.

No Maranhão, o Deputado Federal José Reinaldo Tavares (PSB), até então limpo na trincheira com destino a concorrer a uma das duas vagas para o Senado, também teve seu nome citado na delação e naturalmente, uma enxurradas de divulgações na imprensa, agora colocam seu nome na mesma balança de Waldir Maranhão e Weverton Rocha, dois pretensos candidatos que também são vistos com desconfiança.

A menção ao seu nome, no entanto, foi questionada em 'nota' enviada a imprensa. Veja abaixo:

O Deputado Federal JOSÉ REINALDO (PSB-MA) não foi referido por nenhum dos muitos delatores – “colaboradores”, como dito no despacho do Ministro EDSON FACHIN – da Odebrecht, que apenas se referiram à suposta conduta de um auxiliar seu, quando exerceu o cargo de Governador do Maranhão, mandato encerrado em 31.12.2006.

Mesmo sem essa menção, o Ministério Público Federal, segundo a decisão do eminente Ministro EDSON FACHIN, resolveu requisitar a apuração, por ser “possível a conivência do então mandatário do Executivo, circunstância que demanda apuração aprofundada”. Como registrou também o Ministro FACHIN, “apresentado o pedido de instauração de inquérito pelo Procurador Geral da República, incumbe ao Relator deferi-lo (…) não lhe competindo qualquer aprofundamento sobre o mérito das suspeitas indicadas”.

Embora surpreso com a inclusão de seu nome entre os investigados, o Deputado JOSÉ REINALDO mantém-se absolutamente tranquilo, confiante na Justiça brasileira, e manifesta sua absoluta convicção que a apuração demonstrará sua inocência.
Postar um comentário