19 julho 2017

Chegou o dia que minha vó dizia, estamos atravessando o rio Tocantins a pé

rio Tocantins -  Tocantinópolis
 As imagens que vem circulando nas redes sociais infelizmente não deveriam assustar, mas deveriam ter sido evitadas.

A triste imagem dos bancos de areia ou os pedrais antes submersos pelas águas dos rios, são acontecimentos parecidos no Brasil inteiro e vem sendo reveladas a cada verão, no entanto, em todos os casos, só passam a serem preocupação quando não há mais o que fazer. Afinal, onde estão os afluentes? onde estão as nascentes? E o que os governos construtores de hidrelétricas tem feito para salva-lo?
- Vai chegar o dia em que travessaremos o Rio Tocantins à pé! Era o que dizia meus tios e avós, criados a beira do Tocantins desde Grajaú, no Rio Grajaú - também seco -  até Tocantinopolis, Itaguatins (os dois com trechos possíveis de atravessar a pé) e Imperatriz (onde moram e contemplam essa tragédia).

Muitos que alertavam para o que poderia ocorrer no futuro em decorrência dos maus tratos ao rio já não estão mais vivos para contemplar suas a concretização das revelações, até porque os mais experientes sempre souberam o que as crianças sempre aprenderam nas escolas:- "Os lagos (afluentes) desembocam nos rios" - Mas onde estão os afluentes?

A Estrada do Arroz quem o diga...  As pontes, hoje solitárias, retratam a solidão de quem um dia teve vários lagos que tornavam sua engenharia justificável. Hoje, o tempo revela que falta muito mais que nossos avós nas fotos de hoje,  faltam também a água no rio.




Postar um comentário