26 outubro 2017

Defesa Civil determina que proprietários retirem carcaças de veículos das ruas

Donos de casas construídas sobre riachos e bares também estão sendo notificados

A Superintendência Municipal de Proteção e Defesa Civil iniciou nesta quarta-feira, 25, ação no sentido de notificar donos de oficinas mecânicas e demais proprietários que mantêm em suas portas, no meio da rua, carcaças de veículos, alguns deles, até mesmo sem condição de uso.

“A determinação do prefeito Assis Ramos, nesse sentido, visa melhorar a feição paisagística da cidade e evitar que se acumule água e se transformem em criadouros de mosquito”, afirma o superintendente Josiano Galvão, observando que esse trabalho está sendo feito em parceria com a Secretaria Municipal de Trânsito, Setran.

O superintendente informou também que o órgão continua notificando proprietários de casas construídas irregularmente sobre os leitos dos riachos que cortam a cidade. Essas residências se concentram, principalmente, nos riachos Capivara e Santa Teresa no Grande Santa Rita.

De acordo com Josiano Galvão, no primeiro momento os proprietários estão sendo apenas notificados, para que eles possam tomar as providências de uma nova moradia, “uma vez que essas casas irregulares serão demolidas”, explica o superintendente.

Outra ação da Defesa Civil, diz respeito ao plantio de árvores nos locais considerados áreas de risco, onde as casas já foram demolidas e seus respectivos proprietários foram beneficiados pela prefeitura, com casas em conjuntos habitacionais.

Ele informou ainda, que uma equipe da Defesa Civil continua com o trabalho de fiscalização dos bares da Vila Lobão e bairros vizinhos. “Nosso propósito é que eles possam oferecer o máximo de segurança para seus clientes”, afirma o superintendente.

Nesse primeiro momento os proprietários de bares são alertados sobre os itens de segurança, da rede elétrica, de saída de emergência, para que eles possam se regularizar. “A partir de então, caso não se adéquem é que cumpriremos com as formalidades legais”, alerta.

(Domingos Cezar/ASCOM-PMI)
Postar um comentário