24 outubro 2017

Governo intensifica enfrentamento da hanseníase em cinco cidades do Maranhão


Mais de 750 profissionais de saúde participam, em São Luís, de capacitação do ‘Projeto: Abordagens Inovadoras para intensificar esforços para um Brasil livre da Hanseníase’. A oficina, realizada pelo Governo do Maranhão, Ministério da Saúde, Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS), com o apoio da Fundação NIPPON, do Japão, tem o objetivo de intensificar o enfrentamento da hanseníase em cinco municípios maranhenses. O encontro será realizado até sábado (28) e reúne profissionais das cidades de São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar, Alcântara e Raposa. 

O lançamento do projeto e início das oficinas ocorreu nesta segunda-feira (23), na Faculdade Pitágoras, no Turu, com a presença de autoridades dos cinco municípios, escolhidos por concentrarem o maior número de casos da doença. Em 2016, o Maranhão registrou 3.298 casos novos de hanseníase - São Luís, no mesmo ano, teve 472 registros.

Na abertura, o secretário adjunto da Política de Atenção Primária e Vigilância em Saúde da SES, Marcelo Rosa, que representou o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, ressaltou que a atual gestão estabeleceu como prioridade uma doença que antes era negligenciada. “É por isso que temos fortalecido ações em todas as áreas, da vigilância epidemiológica às capacitações nas equipes da atenção primária”, disse.

Representando o Ministério da Saúde, a substituta da coordenadora nacional do Programa de Hanseníase e Doenças em Eliminação, Jeann Marie Marcelino, reforçou a importância do envolvimento de todos os entes executivos do país, assim como sociedade civil e organismos internacionais.

“No enfrentamento dessas doenças, se a gente não unir forças – quem tem recurso, quem tem expertise, cooperação técnica e profissionais para execução – a gente não vai conseguir. Temos tido uma colaboração muito forte do Estado e do Município para a gente poder intensificar a ação e ter êxito”, afirmou.

O projeto terá duração de três anos (2017/2019) e, além do Maranhão, também será realizado no Mato Grosso, Pará, Pernambuco, Piauí e Tocantins, estados que registraram maior número de casos novos da doença, tanto na população em geral, como em menores de 15 anos, com base no ano de 2015. No total, 20 municípios serão alvo da ação, cujo objetivo é reduzir a carga de hanseníase, contribuindo assim para a redução da carga da doença no país.
Postar um comentário