11 dezembro 2017

PSDB maranhense muda com Alckmin presidente nacional...

PSDB se distancia do governo com candidatura própria, mas alguns precisam decidir se ficam ou saem do partido, principalmente quem ocupa cargos importantes no governo do Estado.

O PSDB Nacional assume nova identidade com a saída de Aécio Neves - suspeito de negociatas com os investigados da JBS -, e a eleição do presidente e governador de São Paulo, Geraldo Alckimin. 

O novo presidente tem sobre sí, o peso de coordenar o próprio projeto de candidato a presidente da república no próximo ano, ao mesmo tempo que segue apoiando os projetos considerados impopulares do atual presidente Michel Temer, como a Reforma da previdência. O desgaste, no entanto, é ver por parte da população o sacrifício de uma parcela significativa sem considerar também os sacrificios das grandes corporações, estas consideradas responsáveis pelos grandes rombos nas contas da previdência, na visão do eleitor. No Maranhão...
com Alckimin no comando, define-se também o comando do diretório Estadual à partir de um projeto mais distante do PT -  considerado o arquirrival do tucanato no projeto nacional, e portanto, o partido deve ficar mesmo com o  Senador Roberto Rocha e do ex-prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira, ou seja, uma candidatura própria ao governo do Maranhão.

O realinhamento do partido, entretanto, deve sofrer perdas como a do próprio vice-governador Carlos Brandão, que defendia a reedição da ultima eleição com o PC do B. Outros nomes do tucanato maranhense, como o Deputado Estadual Neto Evangelista também devem se recompor no cenário para as próximas eleições, e com o peso da máquina, o governador Flávio Dino deve manter diálogos e tentar manter a base. A liderança de Brandão será avaliada nesse sentido a medida que o partido muda de comando, e o tamanho  político que deve ficar, agora que não dispõe mais da legenda. 


O próximo episódio do PSDB no Maranhão é saber quem fica e quem deixa o partido.
Postar um comentário