23 janeiro 2018

Família de vitima atingida denuncia descaso no transporte de madeiras da Suzano


Mesmo após vários acidentes ocorridos por conta de madeiras que caem dos caminhões, a Suzano ou a polícia não tomaram qualquer providencia para mudar essa realidade, denuncia família de uma das vitimas. 

O ano de 2017 foi marcado por vários acidentes envolvendo caminhões de terceirizadas que realizam o transporte de toras de eucalipto para a Industria Suzano papel e Celulose, em Imperatriz do Maranhão. Em todos os acidentes a empresa toma o enorme cuidado de eximir-se da responsabilidade e sempre conduz a “nota a imprensa” dizendo que a empresa responsável pelo acidente seria terceirizada.

O problema é que as famílias das vitimas desses condutores que passam tempo superior ao que determina a lei no transporte (8 horas de serviços diários) e acabam ocasionando acidentes deixando o rastro de sangue ao longo das estradas da região, tanto no Maranhão como no Estado do Tocantins, assistem o passar do tempo sem que nenhuma medida de segurança seja tomada para que novos acidentes sejam evitados. 

Em um dos acidentes uma tora de madeira atingiu um ônibus que transportava os próprios funcionários da industria suzano. (veja foto)

A ultima vitima das “toras de madeira da Suzano” ocorreu no final do ano passado, quando Luiz Lago Junior que conduzia um veiculo foi surpreendido por uma “tora de madeira” que caiu de um caminhão e atingiu seu veículo, vindo a ter morte instantânea. A família, entretanto, denuncia que nenhuma providência cabível foi tomada para a melhora no que se refere a segurança do transporte de toras de madeira, até o momento. 

Segundo um morador da cidade tocantinense de Axixá, alguns motoristas são vistos utilizando entorpecentes nos postos onde param para pernoitar, relata o denunciante. 

A ultima barreira da polícia que poderia fiscalizar a segurança dos veículos foi desativada pelo comando da PM no Maranhão, antes disso, esses caminhões pernoitavam na cabeceira da ponte que faz a divisa entre os dois Estados, agora podem passar livremente sem temer qualquer fiscalização.

Enquanto isso, famílias vítimas das toras que caem das carretas da Suzano aguardam por justiça. “...É com imenso pesar que a Família Lago vem a público demonstrar toda a sua indignação a respeito da morte de Luiz Lago Junior, Vale ressaltar que a Família não busca vingança, mas sim providências para que outras famílias não venham a passar pelo que passamos”, relata um parente de Luis Lago.
Postar um comentário