29 março 2018

Amigos particulares de Michel Temer são alvos da Polícia Federal

Todas as prisões estão ligadas diretamente ao presidente Michel Temer, do MDB.

A polícia Federal prendeu na manhã de hoje 29, na capital paulista, José Yunes, amigo e ex-assessor do presidente Michel Temer. 

A prisão pode por fim no projeto eleitoral do MDB de candidatura de Temer, visto que a ação da PF se refere a MP (Medida Provisória) editada pelo presidente para beneficiar empresas de aliados que operam nos portos, prática criminosa que persegue o partido e sua imagem ainda impregnada a corrupção e falcatruas que marcavam o antigo nome, PMDB. 

A decisão foi autorizada pelo ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF). 

Yunes é apontado pelo operador financeiro Lúcio Funaro, delator da Operação Lava Jato, como um dos responsáveis por administrar propinas supostamente pagas ao presidente. De acordo com Funaro, para lavar o dinheiro e disfarçar a origem, Yunes investia valores ilícitos em sua incorporadora imobiliária, explicou a jornalista Andreia Sadi, da GloboNews.

Além do advogado José Yunes, foram presos João Batista Lima, ex-coronel da Polícia Militar de São Paulo; Wagner Rossi, ex-deputado e ex-ministro; e Antonio Celso Greco, dono da empresa Rodrimar.

Postar um comentário