26 outubro 2018

Um país livre...

O Brasil está prestes a mudar radicalmente seu jeito de governar, não pela pouca ou nenhuma experiencia de ambos os candidatos, mas pela envergadura proporcionada pela disposição de sair da esquerda para a direita, protagonizada pela própria população, provavelmente, e isso é algo que será analisado no decorrer do tempo, se é rejeição a esquerda ou ao PT.

O petismo, por exemplo, precursor do esquerdismo, apesar dos desastres administrativos que cerca o partido em todas as instancias, ainda se julgam o único com condições de governar o país, por outro lado, a gestão do próximo presidente da República, Jair Bolsonaro, segundo as pesquisas, terá a obrigação de unir novamente a população separada pelos discursos de ódios do petismo, que dividiu a população. 

Com o discurso do anti-petismo, Jair Bolsonaro conseguiu se projetar, e se confirmando as perspectivas dos institutos de pesquisas que consagram a sua eleição, Bolsonaro quebra um ciclo histórico de governos esquerdistas iniciados à partir de FHC. 

Por outro lado, os órfãos devem mesmo continuar a choradeira. O petismo fora do poder reafirma sua derrocada e uma rejeição que beira o abismo, mesmo assim os líderes da quadrilha jamais admitiram, mesmo com o presidente populista preso, sem nenhuma chance de ser inocentado e com vários processos a julgar. 

A mudança pedida pela maioria da população a muito tempo, agora será ouvida, apesar da relutância de uma classe organizada de artistas globais e jornalecos, que preferiram se proteger que tentar compreender a voz da maioria da sociedade que prefere anti petismo. 

Enfim, o inicio de um novo tempo está próximo, queira ou não a esquerdalhada órfã e desesperada por uma mamada das estatais... 

Postar um comentário