08 janeiro 2019

Chocados...

    Integrantes da imprensa de Imperatriz ficaram mais uma vez chocados com a prisão de um integrante por problemas familiares que se enquadram no código penal, no entanto, pediram que as avaliações e noticiais fossem respeitadas o direito de defesa do acusado. Justino Filho também fez sua análise (em áudio) e questionou pontos da matéria da assessoria da PM, como por exemplo, o fato da matéria se referir ao cárcere privado, mas a polícia não ter tido necessidade de arrombar a residência para averiguar a denúncia. Claro que todos tem o direito de defesa e a imprensa, o de informar, as vezes cortando na pele, se necessário, como por exemplo, nos casos recentes que envolvem pessoas ligadas a imprensa local. 

O caso em questão, no entanto, é de conhecimento das autoridades, do conselho tutelar, do CREAS – que tratou da esposa, e de todos os órgãos que se entrelaçam nas questões sociais que envolvem crimes contra a criança ou contra a mulher, só não eram de conhecimento público. A prisão, em tese, em flagrante, torna o fato público, portanto, para quem desconhecia os acontecimentos, naturalmente os recebem com surpresa.


Nenhum comentário: