27 julho 2020

Maranhão é recordista em punição a magistrados no CNJ, aponta Folha

Criados em 2005 para fiscalizar o trabalho de juízes e promotores, os conselhos nacional de Justiça e do Ministério Público ficaram mais marcados neste período pelo arquivamento de casos conhecidos do que por impor penas severas aos profissionais.
É o que informa reportagem deste domingo (26) da Folha de S. Paulo.
“O CNJ, por exemplo, já autuou ao menos 13.638 processos disciplinares, mas em apenas 104 casos, o equivalente a 0,78%, houve punição a magistrado. Apesar dos números, os conselhos sempre serviram como um escudo perante a opinião pública”, diz a publicação.
A despeito dos baixos números, pelo menos em casos envolvendo magistrados do Maranhão há um ponto fora da curva: o estado é o recordista em membros do Judiciário punidos pelo CNJ.
De acordo com a publicação, 17 é o número de sanções a integrantes do TJ do Maranhão, o recordista.
Retirado do blog do jornalista G. Leda.

Nenhum comentário: