Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]





É a velha estratégia: “A arte da guerra” a da unitec é a da disseminação de boatos. Pode até não ser verdade, mas acaba deixando alguma lacuna.

Os caras vêem da capital e se acham os reis da política. Claro que alguns deles vivem se reelegendo a cada eleição.

Algumas peças irão se juntar com o passar dos dias. Recentemente em uma reunião, os mais limitados chegaram a cogitar que o governo deveria largar Imperatriz.   “Imperatriz é muito oposicionista, comentou o deputado.” Não podemos jogar tempo e dinheiro fora!

O maior desprezo que eles mesmo comentam  é não ter conseguido emplacar o nome para ser oposição, então, a oposição aqui seria feita pelos próprios aliados do prefeito. Como assim? Fontes tendem a revelar o que já era previsto, onde não a caça, alguém deve começar a ser procurado, ou caçado.

Imperatriz é uma cidade oposicionista. E quem não sabe disso? A tentativa de um grupo de vereadores em atrair votos para a governadora foi desastrosa. Parece até que diminuiu. Claro que o grupo governista é forte, mas a cada dia fica mais visível a rejeição da governadora por aqui.

Quem correr com essa bandeira dificilmente terá chances de virar prefeito. Rodoviária, rotatória e a recente tentativa de retirar recursos de Imperatriz mancham mais a retrograda historia Sarneisista.

Imperatriz não é oposição, Imperatriz é uma cidade de opinião e culta.  Não aceitar a oligarquia como opção é no mínimo inteligente.

Mas alguém sofrerá as conseqüências disso. Madeira provavelmente não fará alianças com Roseana, a maior prova está na perseguição travada entre governistas com a atual gestão municipal.

Sem dúvida Imperatriz poderá viver movimentos históricos nos próximos anos e isso não deixará de passar por um fortalecimento da oposição. É segurar as pontas, pois não será fácil a batalha.

A unitec e a forma de transmitir o problema é apenas uma estratégia, que tende a perdurar.

 Transformar nada em alguma coisa é uma tática antiga e os grupos interessados em não perder privilégios financeiros continuaram a perturbar com mais contos de fadas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:12





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D