Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




O governador Flávio Dino concedeu entrevista coletiva à imprensa maranhense na manhã desta segunda-feira (3) para analisar o panorama pós-eleições 2016. Em seu diagnóstico, ele destacou que o Governo do Estado atenderá a todos os prefeitos que desejarem fazer parcerias para o desenvolvimento com justiça social, e informou que um seminário já está marcado para o próximo dia 10 de novembro com os novos eleitos.

De acordo com Flávio Dino, o Governo do Estado vai se relacionar com todos os municípios que desejarem efetivamente fazer parcerias, e ressaltou que não há discriminação com nenhuma cidade. “Nesse período, por exemplo, nós fizemos o programa ‘Mais Asfalto’ em 150 cidades do Maranhão, não obstante tivéssemos apenas 17 prefeitos apoiando nosso Governo”, exemplificou.

Ele destacou que um seminário já está marcado para 10 de novembro, e terá como principal objetivo apresentar os programas de Governo – a exemplo do ‘Escola Digna’, ‘Água Para Todos’, ‘Mais Asfalto’, apoio ao esporte, cultura e turismo – aos novos gestores com o objetivo de construir uma convergência de esforços, ou seja, conjugação de recursos municipais e estaduais para que haja melhores resultados para a população.

“Demos um intervalo para que exatamente os prefeitos e prefeitas recém-eleitos possam formar suas equipes, porque imaginamos que é importante para que haja reuniões setoriais, com os novos secretários de educação, novos secretários de saúde, e, assim, sucessivamente, para que nós possamos avançar naquilo que é de interesse público”, explicou o governador.

Em relação às parcerias com os municípios, Flávio Dino enfatizou que dará prioridade a dois temas para 2017: água e saúde. Para ele, o problema da água é um drama crescente no estado e o Governo proporá parcerias sobre o tema. A respeito da saúde, o governador disse que é impossível prover os serviços para o estado sem que haja uma atuação consorciada. “É importante exatamente que haja a articulação entre Estado e Municípios, uma vez que a saúde no Brasil é municipalizada, ou seja, os recursos estão no município”, pontuou.

O governador também destacou o tema da metropolização da Ilha de São Luís já para o ano de 2017 e adiantou que já iniciou conversas com os prefeitos eleitos de São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa sobre o assunto. “Nós teremos uma articulação muito forte na Ilha e em municípios vizinhos em torno da temática da metropolização”, confirmou.

Crime organizado na cena eleitoral

Durante a entrevista, o governador Flávio Dino observou o crescimento da presença do crime organizado na cena eleitoral brasileira, circunstância que se revelou também no Maranhão. Ele analisou a atuação – na política e contra a política – do crime organizado, das facções criminosas, das organizações criminosas e das milícias. “Isso em termos nacionais está bastante claro. Candidatos patrocinados por organizações criminosas, organizações criminosas financiando campanhas. Organizações criminosas, no caso, por exemplo, de São Luís tentando impedir a eleição, mostrando que há aquilo que já foi diagnosticado anteriormente”, esclareceu.

Segundo Flávio Dino, há uma aglutinação da crise da Segurança Pública no Brasil e isso propicia o surgimento de vários fenômenos como esses. Ele citou confrontos armados em vários estados, morte de candidatos e de coordenadores de campanhas, notadamente no Rio de Janeiro, Goiás e Paraná, e ressaltou que isso também chegou ao Maranhão.

Nesse ponto, o governador sublinhou o trabalho notável feito pelo sistema de Segurança Pública e pelo Sistema Penitenciário do Estado, que em meio a uma grave crise conseguiu garantir a ocorrência das eleições com liberdade para os eleitores e para os candidatos. “Houve de fato essa manifestação desse fenômeno aqui no nosso estado, porém a pronta resposta que o Governo deu, com o auxílio do Governo Federal e da Justiça Eleitoral, garantiu a ocorrência das eleições”, completou Flávio Dino.

Estiveram na coletiva com o governador Flávio Dino os secretários de Estado Marcelo Tavares (Casa Civil), Márcio Jerry (Comunicação e Assuntos Políticos), Antônio Nunes (Governo), Jefferson Portela (Segurança) e Diego Galdino (Cultura e Turismo).

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:30





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D