Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]





O vereador do PDT quem o diga, érealmente um problema a página social facebook, pra quem ainda despreza o seupoder. Mas o debate desta semana atinge em cheio, os pais de jovens meninas emImperatriz, que postaram, inocentemente, fotos semi-nuas na rede.

fotos publicadas na rede, ofuscadas pelo jornal
correio popular.
Um grupo de “mal feitores” resolveramcoletar essas fotos edisponibilizaram todas em uma pagina, logo após as denuncias se tornarem publicas a página foi retirada. 

Várias crianças que tiveram suas fotosvinculadas nesta pagina já se sentem traumatizadas e abaladas como o ocorrido e algumas já deixaram de ir a escola, outras estão sendo pegaschorando as escondidas ou apagaram o perfil do face.

Quanto a divulgação, as pessoas que usaram as fotos para vincular em algumsite ou página da rede social comete um crime, pois a maioria das fotos são demenores.  Mas o debate ainda se estende aos limites da rede, dasresponsabilidades dos pais e até onde estes devem controlar o acesso dos filhosa internet.

No site Brasil Escola, a dica doadvogado Donaldo de Assis, nos remete exatamente aos acontecimentos recentes, e ele diz: "Na verdade, a Internet pode representar tantoum bem como também um mal. Existe um ditado popular que diz que a dose é adistância que separa o remédio do veneno. Esta analogia também é cabível para aInternet, especialmente em relação às crianças e aos adolescentes, onde a dosedo uso da Internet deverá ser prescrita e ministrada por pais ouresponsáveis." Para outro especialista, esta  é uma questão entre pais efilhos, é preciso saber transmitir as informações necessárias a segurança,isso,faz com que os filhos se sintam seguros em relação ao comportamento deles deacessar ou postar conteúdos impróprios e a consequencia disso.
 Na opinião do blog, é preciso que os paisaconselhem os filhos sobre os riscos da internet, que os materiais disponibilizados,como fotos ou dados, uma vez postados nunca mais será eliminado. Assim comoqualquer outro problema comum, pelo menos nos livros, nos quais orientam ospais em qual tipo de conversa deve ter com os filhos, além de sexualidade,doenças sexualmente transmissíveis, escola, namoro e outros, a internet e redesocial devem ser incluídas.
É preciso estar cada vez mais atentoaos movimentos dos nossos filhos, mas nada melhor que aconselhar e ensinar oscaminhos, para no mínimo, tentar evitar problemas futuros.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:59





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D