Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]





Governo já se movimenta visando as eleições de 2014

Tão logo concluída a totalização dos votos em SãoLuís, com a vitória de Edvaldo Holanda Junior (PTC), aliado do presidente daEmbratur,  Flávio Dino (PCdoB), maior adversário da OligarquiaSarney, a governadora Roseana (PMDB) já partiu para o ataque.

A toque de caixa, a Assembleia Legislativa, comosempre faz, a bancada governista se movimenta para aprovar outro bilionárioempréstimo junto ao BNDES.

Trata-se da vultosa soma de R$ 3,8 bilhões dereais, que deve votado e aprovado nesta quarta (31) ou quinta-feira (01), comampla maioria, com exceção dos poucos e heróicos votos dos deputados deoposição.

Formalmente, de acordo com a mensagem dagovernadora encaminhada à Assembleia, os recursos serão usados no “combate àpobreza”, mas a intenção é turbinar a candidatura do candidato da situação comvistas às eleições de 2014, e a candidatura da própria Roseana Sarney aoSenado.

Desde que assumiu o mandato no tapetão, em 2009,Roseana Sarney já endividou o Estado do Maranhão em mais de 5 bilhões de reais,fora os 3,8 bilhões de agora.
A Oligarquia Sarney acostumou-se a fazer campanhaeleitoral apenas com dinheiro público, e esse empréstimo é apenas mais um dosmuitos.

Mesmo respondendo a processo que pode levar à perdado mandato por abuso de poder econômico no TSE, Roseana Sarney jamais seintimidou em usar o dinheiro público com fins eleitorais.

Somente este ano, o governo liberou algo em tornode R$ 300 milhões de reais a aliados políticos às vésperas das eleições paraturbinar-lhes as candidaturas. Em 2010, liberou cerca de 1 bilhão de reais como mesmo fim e garantiu sua rereeleição.

O monstruoso endividamento do Estado, levado a cabopor Roseana, em sucessivos e bilionários empréstimos,  tem um duplo alvo:um, no processo a que responde no TSE, por abuso de poder econômico. Se forcassada, os rombos nas contas públicas, com os empréstimos bilionários, tem oobjetivo de tornar o Estado ingovernável; se conseguir sobreviver à cassação domandato no TSE, os recursos servirão para turbinar sua candidatura ao Senado edo seu candidato ao governo, com a velha prática de convênios eleitoreiroscriminosos.

O pior de tudo é ver o Ministério Público doMaranhão a tudo assiste e não se incomodar nem um pouco com isso. Sempre foiassim.

A única coisa certa com os empréstimos contraídospor Roseana Sarney, é que o Maranhão continuará empobrecendo cada vez mais,ostentando os piores índices de desenvolvimento humano do país.

Se Flávio Dino se articula politicamente para a disputade 2014, aglutinando partidos e aliados em torno de um programa, de um projeto,a Oligarquia se vale dos cofres públicos, sua velha e sempre atual prática,para tentar mais uma vez subverter a vontade popular pelo abuso de poder.

Portanto, 2014 já começou.

Por Jorge Vieira

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:00





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D