29 março 2017

TAXI-LOTAÇÃO: Disputa entre vereadores pode prejudicar toda a população

vereadores do Grande Santa Rita disputam para gerar a lei enquanto a população será a mais prejudicada. 

JS -contra a lei do Taxi lotação no ano passado
agora é autor do PL
A empresa Ratrans que explora o serviço de transporte urbano dentro do Municipio de Imperatriz, anunciou que pode deixar o serviço se a Lei de autoria do vereador João Silva (PRB), que cria o serviço de Taxi-lotação, for aprovada na câmara. 

Se isso ocorrer, a maioria da população de outros bairro podem ser prejudicada pela disputa eleitoral que existe entre os vereadores da região denominada de “grande santa Rita”. O problema é que esta é a região que mais possui taxi-lotação e veículos clandestinos transportando passageiros e teoricamente, a região em que a população aprova o serviço.

O Vereador Zeziel Ribeiro (PSDB) alertou ontem sobre os prejuízos que podem ocorrer para a população se, serviços que não garantam a continuidade de conquistas sociais não forem mantidas. Para o parlamentar, o serviço de transporte feito por taxi substituir o serviço convencional feito por ônibus, não garante a meia-passagem para estudantes, o transporte gratuito para idosos e cadeirantes entre outros.

Porém, os demais parlamentares estão sendo levados por uma disputa sem precedentes e que prejudica claramente tanto os demais taxistas como o restante da população.
Chiquim -  autor da lei anterior

Conheça a história_

Os vereadores da região denominada de “grande Santa Rita” vem realizando debates em torno do transporte público, principalmente por esta região ser uma das maiores em fluxos de passageiros que saem da região composta por uma grande quantidade de bairros e que vão para o Centro da cidade e assim, utilizam do principal transporte para chegar ao seu destino, o transporte público.

O problema é que durante muitos anos de deficiência no Transporte publico realizado por onibus coletivo, cresceu o numero de taxi-lotação e veículos clandestinos naquela área, vindo a explorar o serviço em concorrência ao transporte regular, realizado pelas empresas convencionais.

Bebé - tentou mudar a Constituição federal
que trata o taxi como transporte individual
No pleito passado o vereador Chiquinho da Di ferro (PP) apresentou a proposta de regularização do serviço de Taxi-lotação, porém o projeto que passou na câmara foi tido como inconstitucional e barrado na promulgação pelo então prefeito Sebastião Madeira, visto que o projeto deveria ter saído como proposta de lei do executivo. Quando retornou para a câmara a sanção foi votada e mantida pelo legislativo, porém, a medida já teria cumprido seu objetivo, tirar o discurso do então candidato a vereador (eleito) Bebé Taxista (PEN), (que já tentou mudar a CF) , considerado o divisor de votos daquela região em que também abriga o vereador João Silva (PRB), que no ano passado foi contra a lei.

Como a lei não poderia ser coloca no exercício anterior, João Silva, reeleito, retoma o projeto de lei e põe em discussão na câmara e retoma o debate sobre o taxi-lotação.

O problema da Lei não é somente a saída do transporte convencional, mas além dos prejuizos nas conquistas sociais citadas pelo vereador Zeziel Ribeiro, a Lei iria contra todos os conhecimentos tecnicos mais modernos relacionados a mobilidade urbana e transporte público, como a preferencia pelo transporte de massa, aumento da quantidade de veiculos individuais que aumentam a poluição e engarrafam o transito, e, principalmente, veiculo automovel é considerado pela constituição e pela lei do taxi, amparada também na CF, como veículo de transporte individual.

É preciso avançar os debates e olhar para a cidade de Imperatriz como um grande centro que caminha no sentido da organização e não como uma cidadela do interior limitada ao desenvolvimento, como parece estar sendo tratada. Melhorar os serviços prestados pelas empresas de onibus, criação do departamento municipal de transporte publico e tratar o serviço como determina a ONU em resolução recente, é, ainda, a melhor invenção para o transporte de massa, a não ser que a cidade de Imperatriz acabara de "inventar a roda" e ser for, Araguaina, São Luis, São Paulo, Rio de Janeiro, París, França, EUA e toda a Europa, deve mesmo copiar a novidade.


Postar um comentário