23 janeiro 2019

Rubem LavaJato tenta retornar a prefeitura de Davinópolis


Parecer do relator nega Habeas Corpus para soltura e retorno ao cargo de prefeito de Rubem LavaJato


O desembargador José Luiz Oliveira de Almeida, relator do pedido de Habeas Corpus solicitado pelo vice-prefeito afastado e preso, José Rubem Firmo, mais conhecido por Rubem LavaJato, não acatou o pedido observando a questão dos argumentos da prisão (veja na imagem abaixo da postagem). A decisão foi publicada na manhã de hoje (23).

Rubem solicitou o HC antes da prisão temporária e argumentava a necessidade de retornar ao cargo de prefeito do município de Davinopolis, por ser réu primário, ter residência fixa e trabalho lícito, além disso, o excesso de prazo da prisão preventiva, posteriormente transformada em temporária.

Rubem é acusado de arquitetar com outros 6 individuos a morte do prefeito de Davinópolis Ivanildo Paiva, crime ocorrido em Dezembro/2018. Desde o dia 31/12 Rubem esta encarcerado por conta do crime. 

O pedido de recondução ao cargo, porém, mantém atento o prefeito em exercício Coquinho e a câmara de vereadores, principalmente pelo fato de ambos ainda não expressar qualquer vontade de exterminar qualquer possibilidade de Rubem retornar ao cargo. O crime chocou a região e a cidade de Davinópolis, mas o que mais incomoda a população é falta de explicações do prefeito Coquinho. De fato o cargo mais ambicionado pela micro politica é o de prefeito, no qual coquinho vem surfando na onda. O que não é calculado ainda, são os prejuízos que seriam se caso Rubem solto, retornasse ao cargo de prefeito.

A câmara de vereadores de Davinópolis se mantém em silêncio ensurdecedor, mas terá que retomar as pautas ao fim do recesso legislativo. Agora cabe ao parlamento tocar os interesses da população ou se servir dos interesses próprios [pessoais], deixando de lado a Lei orgânica que tem como objetivo manter a ordem democrática do município.








Nenhum comentário: