24 agosto 2020

DENÚNCIA: Esquema fraudulento teria beneficiado única empresa para operar internet, câmeras, multas e radares em Imperatriz.


A denuncia foi publicada na rede social por um investigador da polícia

A prefeitura de Imperatriz, administrada pelo prefeito Assis Ramos (DEM) iniciou na tarde de ontem (23) o treinamento e operação da área de Zona Azul dentro do centro comercial da cidade, mas tudo ocorre sem permissão da câmara de vereadores, que derrubou o decreto que criou o estacionamento. 

Outros sistemas questionáveis também foram instalados na cidade com enormes suspeitas de favorecimentos, como o tal "Consorcio de Segurança" que sequer a população reconhece a existência. Veículos particulares a serviço do "consorcio" e timbrado da SETRAN confundem as ações da prefeitura. 

A instalação de uma quantidade recorde de pardais por toda a cidade e até em ruas quase remotas de trânsito assustam os motoristas. Mas a zona azul, passando por cima do legislativo é o mais grave e reflete o autoritarismo e truculência do executivo municipal apresentado desde o inicio do mandato do prefeito Assis Ramos. Para registro, ataque de raiva a um jornalista por parte do prefeito, espancamento de um carroceiro pelo procurador do município e ações truculentas do secretário de transito utilizando armas contra moto-taxis e ainda o recolhimento de carrinhos no mercadinho e verdureiros no centro da cidade.

Mas o mais grave foi apresentado pelo policial e investigador Celso Russo. Ao longo de muitas investigações ainda em andamento, o policial denunciou, em rede social, o direcionamento de licitação e edital para beneficiar a empresa que gerencia praticamente todas os serviços da prefeitura do tal consorcio de segurança.   "Um projeto direcionado, com edital e licitação toda fraudada, tudo para uma única empresa que vem dando rios de dinheiro para o gestor municipal e de trânsito, desde a licitação da Internet, das câmeras e dos radares, tudo armado e sem comprovação técnica e muito menos uso de equipamentos adequados, apenas para justificar depois o gasto", disse ele.

A denuncia coincide com a pressa por parte da prefeitura de executar vários contratos ao mesmo tempo (pardais, zona azul e câmeras de segurançaao longo de poucos meses para o fim do mandato do prefeito Assis, estranhamente, tudo em uma só tacada camuflada pela quantidade de asfalto. 

Celso Russo é conhecido por investigar todos os tipos de crimes, e vem sendo um encalço desde o inicio da atual gestão em meio as denuncias contra o conluio instaurado dentro da prefeitura de Imperatriz para operar esquemas fraudulentos de favorecimento, enriquecimento ilícito e lavagem de dinheiro. 

Em Imperatriz, o Ministério Publico foi um grande parceiro da gestão ao longo dos ultimos 3 anos, e uma das poucas ações contra o executivo, o prefeito Assis Ramos ainda enviou reclamação junto a Corregedoria do MP, reclamando. Após a traquinagem, o MP voltou ao silencio de antes.


Nenhum comentário: