04 setembro 2013

Ex-candidato a prefeito estaria financiando bloqueio da estrada do Centro dos Carlos...

Após uma série de reuniões promovidas pelos promotores de Justiça do Ministério Publico da cidade de João Lisboa, para por fim no impasse do fechamento da estrada vicinal do Centro dos Carlos, foi frustrada após a decisão dos manifestantes de não assinarem um acordo que previa atender a principal exigência, a recuperação da estrada vicinal.

Com essa decisão dos manifestantes ficou praticamente comprovada uma suspeita que já apontava a ligação do movimento com um grupo politico com um ex-candidato a prefeito derrotado na ultima eleição. 

Tudo poderia ter sido encerrado quando no final das negociações intermediadas pelo MP mas o movimento simplesmente se recusou de assinar o acordo.

A falta de lideranças na reunião foi um dos fatores que desmotivaram até mesmo as pessoas envolvidas, claro, inocentemente. Os lideres do movimento seriam um ex-motorista do ex-prefeito, uma ex-diretora de escola do município e uma candidata a vereadora que não foi eleita, também aliada do ex-prefeito. Segundo informações colhidas no local, os lideres estariam sendo financiados por um ex-candidato a prefeito derrotado na ultima eleição.

Os manifestantes teriam recusado a assinar o acordo porque ficariam proibidos de continuar o fechamento da estrada, como se o objetivo fosse exatamente o de conturbar o cenário. Informações ainda dão conta de várias entregas de pizzas e refrigerantes que estavam sendo feitas no motim, evidenciando que de fato existe um financiador no protesto.

O Ministério Publico resolveu tomar a frente das negociações sobre a reivindicação que pede a recuperação da estrada após os manifestantes terem proibido a passagem de ambulâncias e viaturas da policia, e ter visto ainda, a disposição do governo municipal em recuperar a via através de um acordo com a empresa Suzano, e mesmo assim os manifestantes não terem dado indícios que deixariam o local.


O que se espera é que aja uma atitude enérgica por parte da justiça, através de denuncias do MP para que atitudes politiqueiras movidas por baderneiros não venham mais prejudicar toda uma região que necessita da estrada para escoar produção e realizar outros serviços. 
Postar um comentário